Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Crime em nome de Deus

O Estado brasileiro agoniza

Por Mary Zaidan 8 jul 2018, 08h00

Tratado como gato e sapato há tempos, o Estado brasileiro agoniza. Misturou-se com partido político nos mais de 13 anos de domínio petista, que, além de se apropriar dele, institucionalizou a corrupção. E, ainda sem fôlego, trilha agora o perigoso caminho de deixar de ser laico.

No Rio de Janeiro, destruído em diversas frentes, a roubalheira irrigou as terras do aliado Sérgio Cabral, condenado a mais de 100 anos de prisão. E de 2017 para cá, o dinheiro dos impostos dos cariocas aduba a igreja do prefeito da capital, Marcelo Crivella, do PRB de José de Alencar, vice de Lula.

Sobrinho do arquimilionário Edir Macedo, o bispo licenciado Crivella e ex-ministro da Pesca de Dilma Rousseff anunciou a um seleto grupo de pastores e líderes religiosos que tem de “aproveitar a oportunidade” que Deus deu a ele para resolver questões pendentes das igrejas evangélicas. Isso vale desde a isenção de pagamento de IPTU e fixação de pontos de ônibus perto das casas de culto até para o atendimento privilegiado a fiéis na sucateada rede de saúde pública do Rio. Basta que os líderes dos crentes entrem em contato com uma tal de Márcia, assessora do prefeito, para marcar cirurgias de cataratas ou de varizes.

No encontro realizado no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura do Rio, Crivella escancarou que a religião o pauta muito além dos temas confessionais, como a negação do Carnaval ou a Parada Gay, para os quais reduziu subsídios. Está se lixando para o Rio que lhe confiou 1,7 milhão de votos.

Deixou claro que seu mandato tem como fim cumprir a pregação do tio de multiplicar a participação de evangélicos na política. Na eleição de 2014, eles cravaram 90 deputados e dois senadores entre os 594 congressistas. Só a Universal do Reino de Deus elegeu mais de 100 prefeitos em 2016, incluindo o da segunda maior cidade brasileira.

Continua após a publicidade

Com mais de 50 milhões de fiéis, os evangélicos são cobiçados por candidatos de todos os partidos, independentemente da matiz partidária. Todos querem ser ungidos por pastores.

Gente que condena a dobradinha política-religião, mas usa e abusa da fé na busca de votos. Que contribui para a perniciosa intromissão da Igreja – evangélica ou não, diga-se – na coisa pública.

Exaurido econômica e moralmente pela ganância petista, o combalido Estado brasileiro não aguenta um baque desse tipo.

Mas como o que está ruim pode sempre piorar, é conveniente estar atento ao sinal intermitente de alerta. O que Crivella expôs – e o Ministério Público promete apurar – não são planos para o futuro. São ações em curso, privilégios já assegurados para os que confessam a mesma fé do prefeito. Um risco não só para o Rio, mas que pode se espalhar – se é que ainda não se esparramou – para todo o país.

Esse Deus de Crivella é um cara esquisito, que oferece oportunidades a aproveitadores. O maior pecado será não combatê-lo.

Mary Zaidan é jornalista. E-mail: zaidanmary@gmail.com Twitter: @maryzaidan 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)