Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Murillo de Aragão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Murillo de Aragão
Continua após publicidade

A águia e a flecha

O desafio de Lula em 2024 será controlar seu governo

Por Murillo de Aragão
3 dez 2023, 08h00

Em uma fábula de Esopo, uma águia está voando alto no céu quando é atingida por uma flecha disparada por um caçador. Ao cair, a águia percebe que a flecha foi adornada com penas de sua própria espécie. A moral da história é a ironia do destino: a águia foi abatida por uma arma feita, em parte, com penas de sua própria espécie. A fábula é frequentemente interpretada como uma lição sobre a trágica situação de ser ferido ou destruído pelos próprios meios ou pelos próprios esforços. Em 2024, Lula deverá se esforçar para que a fábula não se aplique a seu governo. As maiores ameaças que ele enfrentará estarão relacionadas a seu próprio mundo político e às decisões que precisará tomar. Um grande desafio é a eficiência do ministério, que não é harmônica. Existem pastas que não entregam resultados. Existe “fogo amigo” e disputas de ego que minam o resultado de ações do governo. Controlar tais conflitos será essencial. Existem, ainda, inconsistências na coordenação política.

Aliados se sentem desatendidos em seus pleitos. Parlamentares demoram para serem recebidos por ministros. E há a sensação de que pedidos são atrasados por incompetência ou até mesmo deliberadamente sabotados. Enquanto alguns ministérios entregam resultados, entre eles Minas e Energia, Transportes, Agricultura, Cidades, Desenvolvimento Social, além da equipe econômica, outros ainda estão se reorganizando ou não funcionam adequadamente. No Congresso, a aprovação de agendas do governo é atribuída a esforços da equipe econômica e à liderança do presidente da Câmara, Arthur Lira, e do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e não ao engajamento do Planalto.

“Na prática, o presidente continua sozinho na pista e disputando contra si mesmo”

Apesar disso, o final do ano será melhor do que muitos imaginavam. O país vai crescer cerca de 3%, o desemprego caiu e a inflação está em queda. No entanto, a pauta do novo ano é complexa e delicada para o governo. Destaco quatro desafios a serem enfrentados. O primeiro, no campo fiscal, refere-se ao cumprimento da meta do déficit zero. Ou seja, à capacidade de autocontrole: gastar menos e obter fontes adicionais de receita. O segundo desafio é o de conciliar aliados que disputarão as eleições de 2024. O pleito municipal é o primeiro movimento das eleições presidenciais. Partidos vão buscar se posicionar para valorizar seu peso. Administrar os conflitos será essencial para evitar rupturas, não afetar a agenda legislativa e, ainda, não engrossar as fileiras da oposição.

Continua após a publicidade

O terceiro desafio é o de contar com candidaturas amigáveis nas eleições para o comando da Câmara e do Senado. As eleições no Legislativo acontecerão no início de 2025. A escolha dos futuros presidentes da Câmara e do Senado será decisiva para os dois últimos anos do governo e para a campanha presidencial. Por fim, no final de 2024, Lula deverá escolher o novo presidente do Banco Central, tema de interesse de investidores e para o ambiente de negócios. Uma escolha duvidosa será negativa. No cenário atual, as possibilidades de insucesso dependem mais do governo do que da oposição, que prossegue sem narrativa e desarticulada. Na prática, o presidente continua sozinho na pista e disputando contra si mesmo. Saindo-se bem dos desafios mencionados, consolidará o seu governo.

Publicado em VEJA de 1º de dezembro de 2023, edição nº 2870

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.