Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Pacheco, Lira e o perigo que mora no PCC

O Primeiro Comando da Capital avança contra o centro do poder do país, que parece anestesiado…

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
8 dez 2023, 08h48

O crime organizado deu mais uma prova de que está avançando contra as instituições do Estado.

Ao menos no Brasil e em outros países da América Latina.

A revelação, nesta quinta-feira, 7, dos jornalistas Ranier Bragon e Fábio Serapião comprova como as estruturas de organizações estão cada vez mais sofisticadas, incluindo o PCC.

Após a descoberta do plano macabro para tentar assassinar o senador e ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro, desdobramentos da operação Sequaz comprovam que os mesmos criminosos tinham uma “missão” contra os presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco.

“A quebra de sigilo de celulares apreendidos, encontrou imagens, com comentários, capturadas na internet no dia 29/11/2022 pelos criminosos que compunham a célula Restrita [espécie de grupo de elite criado para “situações diferenciadas”] do PCC, das residências oficiais dos Presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados”, diz o documento da Polícia Federal.

Continua após a publicidade

A história só piora.

A “célula” do PCC esteve em Brasília atrás de terrenos para realizar a tal “missão” contra Lira e Pacheco. Não sei se sabe oficialmente o que eles queriam com o presidente da Câmara e do Senado, mas coisa boa não era. Certeza!

Nas áreas de segurança, assim como em outras, o Brasil tem patinado, falhado.

É um absurdo que um deputado e dois senadores, entre eles os presidentes de um poder, lideranças do legislativo – que fazem as leis – sejam alvos de planos do PCC.

Continua após a publicidade

O Primeiro Comando da Capital avança contra o centro do poder do país, que parece anestesiado, sem conseguir conter, em parte, um câncer que corrói o estado democrático de direito.

Ao menos até aqui, contra lideranças políticas, a Polícia Federal conseguiu evitar que as missões tivessem sucesso.

A pergunta que fica é: até quando?

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.