Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Os bastidores do tortuoso caminho de Flávio Dino até o STF

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 27 nov 2023, 17h05 - Publicado em 27 nov 2023, 15h55

Flávio Dino andou por um caminho tortuoso para vencer a disputa pela vaga no Supremo Tribunal Federal, a mais alta corte do país.

Inicialmente cotadíssimo para o posto, Dino foi vítima de quase tudo no percorrer do processo que lhe deu a poderosa cadeira no STF: azar, campanha dos rivais, fogo amigo e até traição de aliados.

Nada disso, contudo, o colocou fora disputa, mas o ministro da Justiça chegou a deixar de ser o favorito para a vaga nas últimas semanas, até que Lula repensou sua escolha e bateu martelo.

A coluna acompanhou de perto toda a dificuldade que se avizinhou de Dino à medida que Rosa Weber ia se aproximando aposentadoria, no segundo semestre deste ano.

Depois que a ministra deixou a corte, a temperatura subiu ainda mais, atrapalhando sua “campanha” para a toga mais cobiçada da República.

Continua após a publicidade

Flávio Dino enfrentou o agravamento da crise de segurança no Rio de Janeiro, polêmicas com a agenda em sua pasta no governo, resistências dentro do PT e até de aliados maranhenses, que não o queriam fora da política.

Em parte da cúpula do Partido dos Trabalhadores, por exemplo, há agora um misto de decepção e irritação com o fato de Jorge Messias, chefe da AGU e filiado à legenda, ter perdido a disputa.

É sempre bom lembrar que, mesmo com o histórico na esquerda brasileira, Dino passou muitos anos no PCdoB até que recentemente compôs os quadros do PSB, de Geraldo Alckmin.

Aliás, o vice-presidente acabou sendo peça importante na escolha de Lula, que o ouviu para tomar a decisão. Segundo a coluna apurou, Alckmin concordou que Dino era o melhor nome para este momento.

Continua após a publicidade

Outro fator que atrapalhou a caminhada de Dino foi a questão da gênero e da diversidade que Lula encampou como bandeira de campanha, mas não na hora de escolher um nome para o STF.

Em determinado momento, a pressão sobre o presidente fez com que ele pedisse uma lista de nomes de mulheres juristas (com a Indicacao de Dino, serão 10 ministros homens e apenas uma mulher no STF).

Mas, foi pensando pragmaticamente – especialmente no que diz respeito à decepções passadas com indicações nos seus primeiros dois mandatos – que Lula escolheu aquele que acredita poder confiar sem surpresas nos anos que virão.

Até porque, Dino pode ser visto como um político, mas tem forte formação jurídica. É tudo o que se pode querer no Supremo. Ainda mais na visão de um presidente como Lula.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.