Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Alckmin: o picolé de chuchu ganhou tempero

Ele agora é um novo socialista e anda ao lado de Luiz Inácio Lula da Silva (me desculpe também o trocadilho, governador)

Por Matheus Leitão Atualizado em 23 mar 2022, 14h56 - Publicado em 23 mar 2022, 13h08

Geraldo Alckmin, o picolé de chuchu, ganhou tempero.

Chamando os correligionários do PSB de “companheiros e companheiras”, o ex-governador de São Paulo se filiou ao partido trazendo sabor à campanha de Luiz Inácio Lula da Silva.

Falando como vice sem ter o seu nome oficializado ainda na chapa PT-PSB à presidência, Alckmin elogiou o ex-presidente e disse que Lula interpreta o melhor sentimento da alma nacional e da democracia.

“Se Deus quiser, Lula eleito, ele vai reinserir o Brasil no cenário mundial, alargar o horizonte do Desenvolvimento econômico”, afirmou o ex-tucano e agora ex-adversário do petista.

Alckmin ainda fez brincadeiras e trocadilhos envolvendo Lula, como o óbvio ululante de que o atual governo trabalha de forma a minar o país e que “o Brasil precisa ser bom para todos, dar qualidade de vida para todos”.

Continua após a publicidade

O ex-governador de São Paulo lembrou de Eduardo Campos, maior expoente político do PSB nos últimos anos, com carinho. Lamentou a tragédia, acarinhou a família, mas disse que ele foi semeado para que o país melhorasse.

Alckmin ainda enalteceu os “companheiros do PSDB”, partido do qual foi fundador e que deixa agora por desavenças políticas, e citou Mário Covas, para levar, vamos dizer assim, o PSB mais para o centro: “discordância não quer dizer perda de lealdade”.

O ex-governador de São Paulo, que tem bons números no combate à violência em parte do estado paulista, ainda entrou na “seara” de Jair Bolsonaro ao apontar que o tema – segurança –  é um dos dois grandes problemas do país.

O outro, para virar finalmente um político da esquerda tradicional brasileira, é o combate à miséria.

Com disse no início da coluna, Geraldo Alckmin, o picolé de chuchu, ganhou sabor. Ele agora é um novo socialista e anda ao lado de Luiz Inácio Lula da Silva (me desculpe também o trocadilho, governador).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)