Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Marcela Rahal Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Marcela Rahal
Jornalista, repórter e apresentadora. Blog de informação e análise do cenário político nacional
Continua após publicidade

A dupla vitória de Lula entre os Poderes

A jogada que fez o presidente ganhar apoio no Senado e no STF

Por Marcela Rahal
Atualizado em 28 nov 2023, 09h03 - Publicado em 27 nov 2023, 19h40

As indicações para a PGR e para o STF tiveram um fim revelador: Lula conseguiu em uma semana agradar Judiciário e Legislativo. Até a semana passada, o cenário era bem mais dramático, a briga que estava restrita entre Senado e Supremo caiu no colo do presidente Lula depois que o líder do governo, senador Jaques Wagner, resolveu votar a favor da PEC que limita os poderes das decisões individuais na Suprema Corte. O voto foi visto como decisivo para a aprovação da proposta na Casa.

O fato gerou irritação do Supremo com o governo Lula. O presidente logo tratou de acalmar os ânimos e chamou os ministros Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, que são os mais chegados e influentes, para um jantar. Depois disso, nos bastidores, eles deram como certas as indicações do ministro da Justiça, Flávio Dino, para o STF, e do vice procurador-geral eleitoral, Paulo Gonet, para a PGR, nomes defendidos por ambos. O que foi confirmado nesta segunda (27).

O movimento, no entanto, foi interpretado nos bastidores da seguinte forma: o senador Jaques Wagner teria votado a favor da PEC para que, na verdade, o presidente do Senado e seu colega da CCJ Davi Alcolumbre apoiassem a indicação de Dino no Supremo (e de quebra, para outras pautas importantes para o governo).

Sim, o STF ficaria irritado com a aprovação do projeto. O prêmio, então, seria exatamente o que Gilmar e Moraes queriam: as indicações de Dino e Gonet.

Continua após a publicidade

Mas, agora, com a ajuda de Pacheco e Alcolumbre, já que o ministro da Justiça sofre muita resistência no Senado. Inclusive, dos dois que vão “fazer esforços concentrados para analisar as indicações ainda neste ano”, como prometeu Pacheco em entrevista coletiva, logo após o anúncio de Lula.

Se esse foi realmente o roteiro, o diretor de House of Cards que se cuide.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.