Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Polêmica sobre aborto põe o Brasil de novo em desconforto no mundo

Após repercussão de crimes na Amazônia, imprensa americana e britânica repercute caso de juíza que tentou impedir menina estuprada de fazer aborto legal

Por Da Redação Atualizado em 22 jun 2022, 08h46 - Publicado em 22 jun 2022, 07h00

Após os assassinatos do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo Pereira no Amazonas, um outro caso, desta vez em Santa Catarina, deixou o Brasil em posição desconfortável na imprensa internacional: uma criança de 11 anos, estuprada quando tinha dez, teve o aborto, permitido pela legislação para essas situações, dificultado pela  juíza Joana Ribeiro Zimmer.

Trechos de audiências exibidos pelo site The Intercept mostram a magistrada tentando convencer a menina a seguir com a gravidez (“Suportaria ficar mais um pouquinho?”), questionando se o estuprador consentiria com o aborto (“Você acha que o pai concordaria?”) e perguntando se a criança gostaria de escolher o nome do bebê.

A prestigiada revista americana Newsweek, por exemplo, alertou para a legalidade do procedimento que a menina foi buscar na Justiça. “Embora o aborto seja amplamente ilegal no Brasil, com mulheres grávidas que abortam arriscando de um a três anos de prisão e médicos que o realizam arriscando até quatro anos de prisão, eles são legais em casos de estupro ou quando a gravidez representa risco para a saúde”, escreve.

Reportagem da revista Newsweek lembra que o aborto no caso da menina de Santa Catarina é legal
Reportagem da revista ‘Newsweek’ lembra que é legal o aborto no caso da menina de Santa Catarina que engravidou aos dez anos após estupro (Reprodução/Reprodução)

A reportagem do site do jornal britânico Daily Mail diz que a postura da juíza causou indignação generalizada. “O caso atraiu críticas no país majoritariamente católico, com especialistas dizendo à mídia local que não há base legal para a situação, nem sobre a postura que o hospital adotou, nem para a decisão da juíza”, diz a publicação.

Reportagem do jornal britânico 'Daily Mail' sobre a menina que foi estuprada e engravidou aos dez anos de idade
Reportagem do jornal britânico ‘Daily Mail’ sobre a polêmica envolvendo o aborto de menina estuprada e diz que o caso despertou críticas no Brasil (Reprodução/Reprodução)

Já o jornal americano New York Post destacou que a criança foi obrigada a ficar em um abrigo para que não tentasse realizar o procedimento.

Continua após a publicidade

O tabloide britânico The Mirror ressaltou que o aborto é legal no Brasil em casos de estupro ou risco à vida da gestante e citou que a juíza Joana Ribeiro Zimmer será alvo de uma investigação.

O jornal The Mirror mostra a juíza Joana Ribeiro Zimmer, que tentou convencer menina estuprada a ter o filho
(Reprodução/Reprodução)

O jornal americano Jezebel classificou o caso como “traumático”. “Zimmer está sob investigação do Tribunal de Justiça do Brasil, mas o estrago já foi feito: a criança, que já vive com o trauma de sobreviver a um estupro, agora enfrenta a violação adicional da gravidez forçada e os enormes riscos à saúde”, diz um trecho. 

Continua após a publicidade

O Conselho Nacional de Justiça informou nesta terça-feira, 21, que a conduta de Joana Zimmer está sendo apurada em uma reclamação disciplinar. A Corregedoria Nacional do órgão fará a avaliação das provas existentes, a fim de estabelecer se houve prática de infração disciplinar. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.