Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Moraes em Roma: Toffoli manda retirar conversa entre advogado e cliente

Ministro atendeu aos pedidos da defesa e da OAB, que argumentaram que houve violação ao direito de sigilo entre profissional e cliente

Por Isabella Alonso Panho Atualizado em 9 Maio 2024, 10h11 - Publicado em 20 fev 2024, 10h05

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli mandou retirar do inquérito que apura agressões contra Alexandre de Moraes no aeroporto de Roma uma transcrição que contém a conversa de um dos suspeitos, Roberto Mantovani Filho, com o seu advogado de defesa, Ralph Tórtima Filho. A decisão atendeu a um pedido do próprio causídico e também da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O magistrado concordou que, na transcrição, foi violado o direito da parte de conversar com o advogado em sigilo.  O caso foi colocado provisoriamente em segredo de Justiça, até que as conversas sejam retiradas dos autos ou tarjadas.

Na quinta-feira passada, 15, a Polícia Federal concluiu o inquérito que investigava agressões ao ministro Alexandre de Moraes no aeroporto de Roma em agosto de 2023. A corporação entendeu que, por mais que tivessem acontecido discussões ou vias de fato (chamada, tecnicamente, de “injúria real”), como a pena dos delitos é baixa, não tem estofo suficiente para virar uma ação penal. O relatório, assinado pelo delegado federal Hiroshi de Araújo Sakaki, desiste de indiciar os três suspeitos — além de Mantovani, sua esposa Andrea Munarão e seu cunhado Alex Zanatta Bignotto.

Em determinado trecho desse relatório, consta a transcrição de uma conversa de Mantovani com seu advogado. A interceptação foi possível porque, logo que voltaram ao Brasil, os três suspeitos foram alvo de busca e apreensão nas suas residências, tiveram seus celulares e computadores confiscados pelos agentes da PF. No trecho, Tórtima orienta seu cliente a não falar com a imprensa e pede que ele envie provas e documentos a partir de outro aparelho celular.

A divulgação das conversas entre advogado e cliente causou indignação entre a categoria. O pedido da OAB para que o trecho fosse retirado teve o endosso tanto do Conselho Federal quanto das 27 seccionais nos estados. O sigilo das conversas entre defensor e defendido é considerado um desdobramento do direito constitucional à ampla defesa. O trecho colocado no inquérito não teve qualquer relação com o episódio investigado, como argumentaram Tórtima e a OAB.

O inquérito sobre a agressão no aeroporto de Roma seguirá agora para análise da Procuradoria-Geral da República (PGR). Em tese, a entidade pode dar seguimento ao caso mesmo com a desistência da PF de indiciar os acusados. Contudo, estão no plenário virtual da Corte dois recursos — um dos investigados e outro da PGR — que pedem o acesso às imagens das câmeras de segurança do aeroporto, que estão protegidas por sigilo. Com exceção da polícia, ninguém mais teve acesso ao vídeo que registra o episódio.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.