Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Moraes dá 24h para redes sociais bloquearem perfis do PCO e estipula multa

Decisão do ministro determina bloqueio imediato de contas do partido de extrema esquerda em Facebook, Twitter, Telegram, Tiktok, Instagram e YouTube

Por João Pedroso de Campos Atualizado em 20 jun 2022, 15h13 - Publicado em 20 jun 2022, 15h01

Em decisão assinada na sexta-feira, 17, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou um prazo de 24 horas para que Facebook, Twitter, Telegram, Tiktok, Instagram e YouTube bloqueiem as contas no Partido da Causa Operária (PCO) em suas plataformas. A decisão foi publicada nesta segunda-feira, 20, e impõe multa diária de 20.000 reais em caso de descumprimento.

A decisão do ministro, relator do inquérito das fake news no STF, reforça outro despacho de Moraes que, como mostrou VEJA no início do mês, determinou a inclusão do partido na investigação sobre ataques a ministros e à Corte. A ordem se baseou em publicações nas quais o PCO, partido de extrema esquerda, defendeu a dissolução do Supremo e chamou Alexandre de Moraes de “skinhead de toga”.

As empresas que comandam as redes sociais haviam recorrido da decisão do ministro, pedindo que ele revisse sua posição. Moraes, contudo, determinou nesta segunda que os recursos não têm efeito suspensivo e, assim, não há razões para as redes sociais seguirem descumprindo a ordem de bloqueio.

Na mira do inquérito das fake news

Em 2 de junho, Alexandre de Moraes determinou que as agressões do PCO ao STF fossem incluídas no inquérito das fake news e que a Polícia Federal tomasse o depoimento do presidente do partido, Rui Costa Pimenta. Embora tenha imposto o bloqueio das contas nas redes sociais, Moraes ordenou que fossem preservados o histórico de conversas e o conteúdo dos perfis, incluindo postagens apagadas.

O ministro considerou que, diante da “gravidade das publicações divulgadas”, “é necessária a adoção de providências aptas a cessar a prática criminosa, além de esclarecer os fatos investigados”. Moraes afirmou que as postagens “atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal e de seus Ministros, bem como do Tribunal Superior Eleitoral, atribuindo e/ou insinuando a prática de atos ilícitos por membros da Suprema Corte e defendendo a dissolução do tribunal”.

“Efetivamente, o que se verifica é a existência de fortes indícios de que a infraestrutura partidária do PCO, partido político que recebe dinheiro público, tem sido indevida e reiteradamente utilizada com o objetivo de viabilizar e impulsionar a propagação das declarações criminosas, por meio dos perfis oficiais do próprio partido, divulgados em seu site na internet”, escreveu Moraes no despacho de hoje.

O ministro destacou ainda que o partido amplia o alcance das ofensas proferidas no Twitter em outras redes sociais. “É necessário destacar que o Partido da Causa Operária, além das publicações no Twitter, utiliza sua estrutura para divulgar as mesmas ofensas nos mais diversos canais (Instagram, Facebook, Telegram, YouTube, TikTok), ampliando o alcance dos ataques ao Estado Democrático de Direito, de modo que atinjam o maior número possível de usuários nas redes sociais, que, somadas, possuem quase 290 mil seguidores”, sustentou o ministro.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)