Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Encontros com índios e ‘caciques’ e as duas flechadas de Lula em Brasília

Ex-presidente chega à capital nesta segunda-feira, 11, e deve ficar lá por três dias

Por Da Redação Atualizado em 11 abr 2022, 15h41 - Publicado em 11 abr 2022, 13h25

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chega a Brasília nesta segunda-feira, 11, para uma viagem de três dias e duas flechadas: uma contra a terceira via e outra contra os deputados aliados do governo, entre eles Arthur Lira (PP-AL) e a turma do Centrão.

Primeiro virá o encontro com os “caciques” do MDB, em jantar na noite desta segunda-feira, na casa do senador Eunício Oliveira (MDB-CE), que deve reunir também outros líderes do partido, como o senador Renan Calheiros (AL) e o ex-presidente José Sarney.

No cardápio, o enterro da pré-candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS), que tenta se viabilizar, com o apoio de uma ala do partido, como candidata da terceira via entre Lula e o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em entrevista a VEJA na edição desta semana, Renan deixou claro o que pensa a parte do MDB na qual se insere. “Para fazer o enfrentamento do Bolsonaro tem que ser com a candidatura do Lula. Não tem nada em segredo. Temos 14 diretórios cujas lideranças preferirão Lula, lideranças que têm projeto de poder estadual, têm governo, têm prefeituras de capitais e têm uma grande quantidade de prefeituras nos municípios”, disse. “Lula virá a Brasília e vamos conversar sobre circunstâncias estaduais, como ficarão os apoiadores do Lula no MDB e como encaminharemos nossa posição na convenção partidária”, completou.

Já na terça-feira, vem a segunda flechada de Lula, agora em encontro com caciques de verdade. Ele deve visitar o Acampamento Terra Livre, uma grande mobilização organizada pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, que ocupa uma área em Brasília desde o último dia 4. O objetivo é evitar a aprovação do Projeto de Lei 191/2020, que regulariza a mineração em terras indígenas e tem o apoio dos deputados governistas.

Ao ficar ao lado dos indígenas, Lula – que já manifestou publicamente oposição à iniciativa no Congresso – abraça uma significativa pauta da esquerda e acena tanto a movimentos sociais aliados quanto a uma parcela importante de apoiadores influentes, como o cantor Caetano Veloso, que liderou um ato contra o projeto na capital federal no dia 9 de março. Também estavam na manifestação artistas como Letícia Sabatella, Lázaro Ramos, Bruno Gagliasso, Bela Gil, Nando Reis e Seu Jorge, entre outros.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)