Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Deltan apoia Moro, dizendo que ele é vítima de Lula e do PCC

Deputado lembrou declaração do presidente de que, quando estava preso, pensava em vingança contra o ex-juiz

Por Da Redação
Atualizado em 22 mar 2023, 15h58 - Publicado em 22 mar 2023, 10h47

O deputado federal Deltan Dallagnol (Podemos-PR) fez nesta quarta-feira, 22, em suas redes sociais, um post em solidariedade ao ex-colega de Lava-Jato, o senador Sergio Moro (União Brasil-PR), em razão da descoberta pela Polícia Federal de um plano da facção criminosa PCC para atacar autoridades, entre elas o ex-juiz.

E aproveitou para colocar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o grupo criminoso no mesmo balaio. “Chocado, indignado e motivado a lutar ainda mais contra o crime. Minha total solidariedade a Sergio Moro e sua família, pessoas de honra que querem e lutam por um Brasil melhor. Os criminosos quererem vingança. Querem ‘ferrar’ Sergio Moro, cada um com suas armas”, escreveu.

A publicação faz referência a uma afirmação de Lula em entrevista ao portal Brasil 247, divulgada na terça-feira, 21, de que, quando estava preso em Curitiba, pensava em vingança contra Moro. “De vez em quando (…) entravam três ou quatro procuradores (na cela) e perguntavam: ‘Está tudo bem?’. E eu: ‘Não está tudo bem, só vai estar bem quando eu f… esse Moro’”, contou Lula.

Continua após a publicidade

Mais tarde, o próprio Moro criticou a declaração de Lula. “Repudio essa fala do presidente Lula. É uma fala de baixo calão, utilizando termos grosseiros, uma forma que nunca me reportei a ele (…). Quando usa essa linguagem ofensiva contra mim, gera até risco pessoal, para minha família, colocando a gente numa maneira, como eles falam muito, no tal discurso de ódio”, afirmou em entrevista à CNN Brasil.

O ex-juiz da Lava-Jato disse, ainda, crer que as últimas declarações de Lula são uma tentativa de tirar o foco das “falhas do atual governo”, como o adiamento do lançamento do novo arcabouço fiscal. “Essa semana foi prometido que seria lançada uma âncora fiscal. Isso foi colocado com uma expectativa para ser divulgado antes da reunião do Copom, e no final não teve nada. E os juros continuam altos, matando o crescimento econômico, mas principalmente em razão desse descontrole fiscal.”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.