Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Defesa de Cabral vê risco de prisão e pede que Gilmar anule atos de Moro

Ex-governador alega que houve quebra de imparcialidade do ex-juiz em processo da Lava-Jato

Por João Pedroso de Campos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 17 abr 2023, 17h12 - Publicado em 17 abr 2023, 13h52

Solto em dezembro, após mais de seis anos na cadeia, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral apelou ao ministro Gilmar Mendes, do STF, para anular atos do ex-juiz federal Sergio Moro, hoje senador, em um processo contra ele na Operação Lava-Jato. Cabral foi condenado nessa ação a 14 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, supostamente praticados no recebimento de 2,7 milhões de reais em propina da Andrade Gutierrez nas obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras.

A defesa de Cabral cita o regimento interno do STF para defender que Gilmar seja o sucessor do ex-ministro Ricardo Lewandowski, recém-aposentado da Corte, como relator da ação em que a defesa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva obteve a íntegra dos diálogos entre Moro e procuradores da Lava-Jato, acessados por um hacker no Telegram. Na mesma ação, Lewandowski suspendeu e derrubou uma série de processos contra políticos a partir da anulação de provas do acordo de leniência da Odebrecht.

Na petição dirigida a Gilmar, são apresentadas mensagens entre o ex-juiz e os membros da força-tarefa que mostram, na avaliação dos advogados, um conluio contra Sérgio Cabral semelhante ao ocorrido em relação a Lula. Em um dos chats, o ex-procurador e hoje deputado federal Deltan Dallagnol (Podemos-PR) informa a Moro sobre a iminência de serem apresentadas denúncias contra Cabral e Lula, ao que o então juiz responde: “Um bom dia afinal”.

O pedido ao ministro do STF também aponta suposta quebra de imparcialidade de Sergio Moro em ocasiões como o dia em que Cabral foi algemado e acorrentado pelos pés e cintura ao ser transferido a Curitiba; “constrangimento e intimidação” ao ex-governador ao ser ouvido no processo; “protagonismo” de Moro ao questionar testemunhas na mesma ação e intenções do então juiz de ganhar visibilidade nacional para entrar na política.

Continua após a publicidade

A defesa de Sérgio Cabral sustenta que ele corre “iminente risco de voltar a ser preso”, já que o caso em que foi condenado por Moro está em fase de recursos junto ao próprio STF. “As razões que fundamentam o presente pedido ultrapassam questões pessoais dos beneficiados, mas trata-se de uma questão de correção das injustiças e das atrocidades perpetradas pelos integrantes da força-tarefa em evidente conluio do qual era o pivô central o então juiz Sergio Moro”, diz o documento.

A petição pede que Gilmar suspenda a ação penal liminarmente e, no mérito, seja concedido a Sérgio Cabral um habeas-corpus de ofício, ou seja, de iniciativa do STF, para que sejam considerados nulos todos os atos de Moro no processo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.