Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Bolsonaro ironiza erro da PF com joias: ‘Aguardemos outras correções’

Ex-presidente critica delegado responsável pelo caso e cita a investigação envolvendo Adélio Bispo e a facada que recebeu em 2018

Por Da Redação Atualizado em 9 jul 2024, 11h25 - Publicado em 8 jul 2024, 19h48

O ex-presidente Jair Bolsonaro ironizou no início da noite desta segunda-feira, 8, o erro da Polícia Federal em relação ao valor das joias e outros presentes que ele recebeu em viagem oficial à Arábia Saudta e que lhe renderam o indiciamento em relatório policial divulgado na semana passada.

No relatório, a PF atribuía um valor de 25,3 milhões de reais ao conjunto que teria sido desviado, segundo a acusação feita ao ex-presidente no relatório final da investigação. Depois, a corporação fez uma “errata”, ajustando o valor para 6,8 milhões de reais – leia matéria sobre isso aqui.

“Aguardemos muitas outras correções. A última será aquela dizendo que todas as joias ‘desviadas” estão na CEF, Acervo (da Presidência da República) ou PF, inclusive as armas de fogo”, afirma o ex-presidente em suas redes sociais.

Bolsonaro
(X-Jair Bolsonaro/Reprodução)

Bolsonaro também ironiza, mas cometendo um erro, o delegado responsável pelo caso e pela confusão, Fábio Alvares Shor. “Uma dica: o delegado encarregado do inquérito é o atual Diretor de Inteligência”, afirma na publicação feita nas redes sociais.

Continua após a publicidade

O ex-presidente se confundiu. Shor é, na verdade, um delegado que integra a Diretoria de Inteligência da PF, mas não é o seu diretor – o ocupante do cargo é Rodrigo Morais Fernandes.

Adélio

Por fim, o ex-presidente aproveita para ressuscitar, mais uma vez, a investigação envolvendo a facada que recebeu em setembro de 2022, durante campanha em Juiz de Fora, desferida por Adélio Bispo. “Aguarda-se a PF se posicionar no caso Adélio: “quem foi o mandante?”, afirma.

A Polícia Federal já encerrou o caso e concluiu que o autor da facada agiu sozinho, mas o bolsonarismo, volta e meia, traz de novo o assunto à tona, especialmente quando Bolsonaro está acuado por algum fato novo. Segundo o relatório, divulgado no último dia 11 de junho pela PF, “houve apenas um responsável pelo ataque, já condenado e preso”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.