Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Bolsonaro coloca R$ 10 mil em dinheiro vivo na campanha de Carlos

Valor está acima do permitido pelo TSE para doações do tipo em 2020. Presidente colaborou com R$ 70.500 nas campanhas do filho desde 2004

Por João Pedroso de Campos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 7 out 2020, 19h58 - Publicado em 6 out 2020, 10h34

O presidente Jair Bolsonaro não abre mão de certos gastos. Um deles são as doações às campanhas de seus filhos. Na eleição de 2020, Bolsonaro já colocou a mão no bolso para colaborar com o único membro de sua prole concorrendo a um cargo, o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos), que concorre à reeleição e recebeu 10.000 reais do pai – além dos 10.000 reais que o próprio Carlos já havia colocado em sua campanha. O dinheiro de Bolsonaro chegou aos cofres do filho por meio de um “depósito em espécie”, dinheiro vivo, na última sexta-feira, 2 (veja abaixo, clique para ampliar a imagem).

A doação do presidente foi irregular, uma vez que, segundo as regras do TSE para doações de campanha em 2020, “todas as doações de valor igual ou superior a R$ 1.064,10 somente poderão ser realizadas mediante transferência eletrônica entre as contas do doador e do candidato, ou ainda por meio de cheque cruzado e nominal”.

(Reprodução/TSE)

O presidente é um doador fiel às campanhas de Carlos: de 2004 a 2016, colaborou financeiramente com todas as disputas eleitorais do filho Zero Dois, em um total de 60.500 reais. E as doações foram, na maioria das vezes, por meios não eletrônicos. Em 2004, passou um cheque de 10.000 reais; em 2008, depósito em espécie de 15.000 reais; em 2012, mais 12.000 reais em dinheiro vivo; em 2016, três transferências eletrônicas, somando 20.500 reais, além das cessões de um imóvel na Zona Norte do Rio e de um micro-ônibus, no total de 3.000 reais.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) ainda não colocou dinheiro na campanha do irmão vereador neste ano, mas o histórico recente sugere que o Zero Um ainda pode colaborar: ele doou 10.000 reais a Carlos Bolsonaro em 2008, por meio de um depósito em espécie; e mais 10.000 reais em 2012, transferidos eletronicamente.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.