Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

A dor de cabeça do agronegócio com as invasões de terra do MST

Tema foi discutido em reunião da bancada ruralista, que nesta semana lançou a Frente Parlamentar Invasão Zero, em defesa à propriedade privada

Por Laísa Dall'Agnol Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 26 out 2023, 17h30 - Publicado em 26 out 2023, 17h24

Mesmo após o melancólico fim da CPI do MST, a preocupação da bancada ruralista com invasões de terra continua grande. O tema foi pauta de uma reunião da Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA) na última terça-feira, 24, em Brasília.

Além dos esforços para a derrubada do veto de Luiz Inácio Lula da Silva ao marco temporal, aprovado pelo Congresso, o grupo discutiu o aumento de invasões de propriedades por todo o país.

“As invasões do MST nos preocupa a todos. Começou uma escalada na região Sul e na Bahia. No Pará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, está tendo muito. Em Santa Catarina, o pessoal está matando gado, voltando ao que fizeram no passado, aqueles horrores”, diz a senadora Tereza Cristina (PP-MS) a VEJA. “É o descumprimento da lei. O Estado não querendo colocar polícia, fazendo vista grossa, compactuando com esse processo que, na verdade, é um retrocesso”, diz a ex-ministra da Agricultura.

Invasão zero

Com a presença de Jair Bolsonaro, a sede da Frente Parlamentar da Agropecuária recebeu na terça-feira, 24, o evento inaugural de outro grupo de atuação no Congresso: a Frente Parlamentar Invasão Zero, que tem como objetivo a defesa do direito da propriedade.

Continua após a publicidade

Presidida pelo deputado Luciano Zucco (Republicanos-RS), a bancada é uma espécie de desdobramento da CPI que apurou as invasões de terra do MST e conta com ex-membros do colegiado, entre eles o próprio Zucco, que era presidente da comissão, e o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles (PL-SP), que era o relator. Bolsonaro e o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), foram nomeados “padrinhos” da nova frente.

“Em quatro meses da gestão do governo Lula, tivemos mais invasões do que nos quatro anos do governo Bolsonaro (…). Precisamos de paz no campo, de segurança jurídica”, declarou Zucco no evento.

Referindo-se aos parlamentares de diferentes partidos de oposição que participaram da solenidade, Bolsonaro defendeu que a existência de “adversários” é normal na política, mas classificou as invasões de terra como feitos de “inimigos políticos”. “Existe um inimigo político também. Aquele que não respeita a propriedade privada é um inimigo político nosso”, afirmou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.