Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A cruzada sem sentido de Janaina Paschoal

Deputada estadual mais votada da história do país e pré-candidata ao Senado tem praticamente um só assunto no Twitter

Por Da Redação Atualizado em 18 jan 2022, 16h25 - Publicado em 18 jan 2022, 15h01

Na esteira do impeachment de Dilma Rousseff, cujo pedido ela ajudou a formular e a defender no Congresso, a advogada e professora de direito da USP Janaina Paschoal (PSL-SP) amealhou 2,1 milhões de votos e se tornou a deputada estadual mais votada da história do país em 2018.

Pouco mais de três anos depois, cansada da vida na Assembleia Legislativa, ela planeja a sua candidatura ao Senado, embora ainda nem saiba exatamente a qual partido estará filiada – ela já anunciou que irá sair do PSL na janela partidária, em abril. A julgar pelo seu comportamento no Twitter, a deputada aposta em apenas uma pauta: atacar a vacina contra a Covid-19, por ironia, no estado que foi pioneiro no uso do imunizante, em janeiro de 2021, há exatamente um ano.

Com os piores argumentos do negacionismo rasteiro que se instaurou nas redes sociais, alavancado pelo bolsonarismo mais ensandecido, Janaina praticamente só fala disso no Twitter. Nos últimos dez dias foram ao menos 35 posts sobre o assunto, além de dois contra o isolamento social – no mais, foram das publicações contra o PT/Lula, três sobre a eleição em São Paulo e um sobre o seriado Cobra Kai.

Nos posts relacionados à vacina, Janaina tem duas preocupações básicas: 1) criticar a obrigatoriedade da imunização, que não existe no país (daí ela ataca o chamado passaporte da vacina e qualquer tentativa de limitar a circulação de não-vacinados) e 2) questionar a própria eficácia e segurança do imunizante, inclusive divulgando supostos casos de vítimas de efeitos adversos — fake news ou distorções, na quase totalidade das vezes.

Mas a vida de negacionista não tem sido fácil. Seus posts são criticados, rebatidos ou ironizados pela ampla maioria dos usuários. Boa parte deles ameaça acionar a nova ferramenta disponibilizada pelo Twitter na segunda-feira, 17, para denunciar publicações que contêm desinformação

Continua após a publicidade

Com isso, Janaina acaba tendo que dedicar boa parte da sua energia para ficar se defendendo das críticas. Algumas vezes, chega a esboçar um mea culpa, antes de voltar a novos ataques.

Com a sua atuação nas redes, a deputada se junta a outros célebres críticos da vacina que se valem de desinformações e distorções, como os deputados Osmar Terra (MDB-RS), Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Carla Zambelli (PSL-SP) e Bia Kicis (PSL-DF) e influenciadores bolsonaristas especializados em espalhar fake news nas redes sociais.

Além da gravidade do ataque sistemático contra uma medida importante para reduzir as mortes e os casos graves na pandemia, a cruzada de Janaina é mais bizarra ainda porque eleitoralmente não faz sentido: pesquisa Datafolha divulgada nesta semana mostra que em São Paulo, 81% aprovam o passaporte da vacina e 79% é a favor da vacinação de crianças de 5 a 11 anos de idade.

A sua pregação para o cercadinho negacionista não faz sentido porque esse contingente não atinge nem 20% dos entrevistados em São Paulo, percentual que seria insuficiente para elegê-la ao Senado, como pretende — apenas uma vaga estará em disputa neste ano. Como Janaina pretende se eleger a um cargo majoritário contrariando oito de cada dez eleitores do estado?

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)