Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Mãe Para Toda Obra

Blog da jornalista Fabiana Futema traz notícias e reflexões sobre o mundo materno, primeira infância e dilemas femininos. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Respeite o tempo do bebê e diga não à cesárea agendada

Estudos indicam que bebês nascidos de cesariana têm mais chances de desenvolverem doenças respiratórias

Por Fabiana Futema Atualizado em 4 jan 2018, 15h59 - Publicado em 4 jan 2018, 07h56

Fim de ano, férias, feriados e Carnaval. Essa é a combinação perfeita para aumentar o número de cesáreas agendadas nos hospitais do país. Escolher pela cesárea é uma decisão da mãe, mas agendá-la pode trazer consequências tanto para o bebê quanto para a mãe.

O problema da cesárea agendada, sem indicação médica, é que ela antecipa a data de nascimento do bebê e é realizada sem que a mulher entre em trabalho de parto e não espera que o bebê dê sinais de que está pronto para vir ao mundo.

Estudo dinamarquês publicado no British Medical Journal revela que as chances de bebês nascidos de cesarianas desenvolverem doenças respiratórias são aumentadas em quatro vezes. O risco de morbidade materna também é maior entre as mulheres que fazem cesárea.

Continua após a publicidade

Para esclarecer as mulheres sobre o risco da cesárea sem indicação médica, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) lançou em 2015 o projeto Parto Adequado em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement (IHI).

No fim de dezembro, a agência lançou a campanha #NãoaoPartoAgendado, que tem o objetivo de lembrar às mulheres que o bebê tem seu tempo e é preciso respeitar as fases da gestação.

Entre os benefícios do parto normal estão menor risco de complicações para a mãe e o bebê decorrentes da cirurgia e indução ao aleitamento materno.

Continua após a publicidade

“Hoje, não há evidências científicas que justifiquem o agendamento de uma cesariana, salvo algum risco claro para a saúde da mãe e do bebê “, diz em nota a coordenadora do projeto Parto Adequado na ANS, Jacqueline Torres.

Para evitar cirurgias precoces, o Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou resolução em 2016 determinando que as cesáreas só podem ser realizadas a partir da 39ª semana de gestação. Antes, a entidade liberava a cirurgia a partir da 37ª semana.

Fases do bebê – Agência Nacional de Saúde Suplementa (ANS/Divulgação)
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.