Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Letra de Médico Por Cilene Pereira Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil

Mulher de fases

Oscilação hormonal tem sido estudada para compreensão de alterações de humor nas mulheres

Por Alexandre Hohl 1 ago 2022, 17h40

Há muito se sabe que as mulheres têm um risco maior de sofrer de transtornos depressivos em comparação com os homens. Embora fatores psicossociais claramente contribuam para isso, evidências acumuladas também sugerem influências hormonais.

A chegada da primeira menstruação (menarca) está ligada a um risco elevado para o aparecimento de um primeiro episódio depressivo. Nesse sentido, é importante entender a participação do chamado eixo hipotálamo-hipófise-ovariano. Há uma conversa entre hormônios produzidos e liberados em glândulas dentro do cérebro (hipotálamo e hipófise) e as gônadas femininas, os ovários. Existem dois importantes hormônios femininos produzidos pelos ovários: estradiol e progesterona. E eles oscilam dependendo da fase do ciclo menstrual em que a mulher esteja: o estradiol está mais elevado na fase folicular (primeira fase do ciclo) e a progesterona está mais alta na fase lútea (segunda fase do ciclo). E essa oscilação vem sendo estudada, tentando associar essa montanha-russa hormonal com possíveis alterações de humor nas mulheres.

O estradiol atua na função reprodutiva, pele, vasos sanguíneos, ossos e cérebro, com centenas de funções no organismo feminino. Já a progesterona prepara o endométrio (revestimento interno do útero) para a gravidez após a ovulação. E será que existe uma função desses hormônios sobre o humor? Ainda é uma incógnita. Na gravidez, no pós-parto e na perimenopausa, a magnitude do aumento e diminuição dos hormônios sexuais torna mais difícil desvendar o papel deles nos episódios de depressão.

Já o transtorno disfórico pré-menstrual (sintomas que ocorrem uma a duas semanas antes da menstruação) é diferente. Esse transtorno é caracterizado por uma variedade de mudanças afetivas e somáticas, ocorrendo durante a fase lútea do ciclo menstrual. Alguns estudos mostram que mulheres que apresentam a disforia pré-menstrual teriam níveis mais baixos de estradiol comparadas com aquelas sem transtorno de humor.

Acredita-se que seja importante aprofundar o entendimento da disforia pré-menstrual, analisando como as flutuações hormonais podem contribuir no humor ao longo do ciclo menstrual. Porém, por mais que o humor de uma mulher possa oscilar durante o ciclo menstrual, não é possível afirmar que os hormônios sexuais sejam os maiores culpados pelo fenômeno. Uma melhor compreensão das mudanças biológicas femininas durante as diferentes fases do ciclo menstrual e da vida pode impactar em opções de tratamento eficazes e possível redução da carga de transtornos de humor em mulheres.

 

Letra de Médico - Alexandre Hohl
./Arquivo pessoal
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)