Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Letra de Médico

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil
Continua após publicidade

Bronquiolite, o vilão do momento contra as crianças

Aumento expressivo de casos de doença respiratória grave nas crianças deve ser motivo de preocupação entre pais e autoridades

Por Renato Kfouri
Atualizado em 24 Maio 2023, 17h20 - Publicado em 24 Maio 2023, 09h52

Neste ano, muitos estados vêm detectando um aumento expressivo de casos de doença respiratória grave nas crianças (SRAG – síndrome respiratória aguda grave), com grande ocupação e consequente falta de leitos hospitalares infantis, especialmente de terapia intensiva (UTI). O Amapá, por exemplo, decretou, recentemente, situação de emergência em saúde pública no estado.

Os principais vírus envolvidos nesses casos são os já conhecidos sincicial respiratório (VSR), influenza e o coronavírus da Covid-19, com maior destaque para o VSR, levando a doenças como a bronquiolite e a pneumonia.

Sabe-se que nesta época do ano há uma forte tendência de aumento de casos (sazonalidade), reflexo de condições climáticas que facilitam a multiplicação viral e do próprio comportamento da população, que se aglomera mais em ambientes menos ventilados; porém, soma-se a esses fatores já conhecidos, neste ano, a baixa circulação desses vírus nos últimos anos em função das medidas restritivas de distanciamento e uso de máscaras, além do próprio protagonismo do coronavírus, que tomou conta do cenário durante a pandemia.

Com o retorno das atividades escolares, criaram-se condições para a circulação dos demais vírus, encontrando desta vez uma população de crianças sem exposição prévia a eles, o que favorece as altas taxas de transmissão.

Continua após a publicidade

Segundo o Ministério da Saúde, de janeiro a março de 2023 foram registrados mais de 3 mil casos de SRAG por VSR, a maioria em crianças menores de 4 anos de idade.

É fundamental reforçar, nesses períodos, a importância de medidas simples como a higiene das mãos, evitar aglomerações, a limpeza de superfícies, aumentar a ventilação de ambientes, manter a etiqueta respiratória além de, sempre que possível, afastar crianças doentes das demais.

Outra medida imprescindível é a imunização contra a gripe e a Covid-19, disponível gratuitamente para crianças a partir de 6 meses de idade. Embora ainda não haja uma vacina disponível contra o VSR, bebês mais vulneráveis, como os prematuros, devem receber nesta época do ano um anticorpo específico contra ele, que o protegerá deste grande vilão do momento.

Continua após a publicidade

Fiquemos de olho e protejamos nossas crianças!

*Renato Kfouri é pediatra infectologista, presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.