Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Em Cartaz

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca
Continua após publicidade

A mitologia por trás do trio de vilãs de ‘Shazam! Fúria dos Deuses’

Helen Mirren, Lucy Liu e Rachel Zegler embarcam no universo da DC como as irmãs Hespera, Kalypso e Anthea

Por Gabriela Caputo Atualizado em 16 mar 2023, 17h49 - Publicado em 16 mar 2023, 16h46

Pela sala de um museu com peças da Antiguidade, marcham duas figuras pitorescas com pesadas armaduras gregas. Diante de um artefato já bem conhecido pelos fãs de Shazam!, os cavaleiros retiram seus capacetes, e por baixo de toda aquela parafernália se revelam Helen Mirren e Lucy Liu — parte do trio de vilãs de Shazam! Fúria dos Deuses, que estreia nos cinemas nesta quinta-feira, 16. A trupe é formada pelas irmãs Hespera, Kalypso e Anthea (vivida pela jovem Rachel Zegler): são as Filhas de Atlas, que dão novo fôlego à trama do super-herói da DC Comics ao invadir a Terra na missão de vingar seu pai, uma espécie de deus cuja magia foi roubada há muito tempo.

Se os filmes do gênero um dia se restringiram ao público leitor de quadrinhos, hoje os super-heróis são responsáveis por parte massiva das bilheterias, e os roteiristas e diretores experimentam uma liberdade muito maior ao adaptar tais narrativas para as telonas — movimento comprovado algumas vezes pela Marvel e agora também pela DC. As Filhas de Atlas, vilãs implacáveis de Shazam!, são o exemplo perfeito: para além de diminutas referências, as personagens não existem de fato nos quadrinhos da DC Comics, e foram criadas especialmente para o filme. A inspiração é a mitologia grega, mesma fonte da qual nasceu a icônica Mulher-Maravilha.

O pai das poderosas, entretanto, tem sim antecentes nas HQs da DC, e já apareceu em mais de uma linha do tempo desse universo. Atlas é um titã grego que, segundo tal mitologia, foi condenado pelos deuses do Olimpo a carregar o peso da Terra nas costas — o que impedia que o céu caísse sobre as pessoas. Shazam é um acrônimo e cada letra representa um deus cujo poder se juntou à amálgama de habilidades de Billy Batson. Na trama, portanto, seria o responsável pela resistência do super-herói. Essa premissa deu origem às vilãs que agora aparecem no segundo filme da franquia.

Embora o longa não se aprofunde tanto nas habilidades individuais das Filhas de Atlas, retratadas como figuras todo-poderosas, as versões originais da mitologia tem origens interessantes. Hespera, vivida no cinema pela brilhante Helen Mirren, seria uma variação das Hespérides. Tratam-se de ninfas do amanhecer e do anoitecer, guardiãs de um jardim formoso com uma macieira dourada. Já Kalypso, interpretada por Lucy Liu, faz referência à ninfa responsável pela proteção da Ilha Ogygia. Na Odisséia, ela se apaixona por Ulisses e o prende por sete anos na ilha com seu encanto. Em Shazam!, possui o poder do caos. Alguns fãs da DC enxergam em Hespera e Kalypso semelhanças com outras personagens dos quadrinhos: Circe e Hera Venenosa. Fechando o trio, temos a jovem Anthea, personagem de Rachel Zegler. Na mitologia, trata-se de uma ninfa das planícies e regiões pantanosas e das flores, enquanto no cinema tem o poder da Axis, habilidade que permite rearranjar rapidamente o espaço-tempo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.