Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Caçador de Mitos Por Leandro Narloch Uma visão politicamente incorreta da história, ciência e economia

Bipolaridade intelectual

Por Leandro Narloch Atualizado em 31 jul 2020, 01h34 - Publicado em 23 abr 2015, 13h29

A bipolaridade intelectual é o distúrbio que mais ataca jornalistas, colunistas, sociólogos e palpiteiros tanto da esquerda quanto da direita. Num dia o camarada diz morrer por um princípio, no dia seguinte rejeita a ideia e ainda despreza quem a defende. Sua avaliação sobre o que é correto ou moral é imprevisível, varia conforme a pessoa ou o partido que praticou a ação. Eis alguns exemplos atualizados da bipolaridade intelectual:

 

Terceirização de funcionários: “grande ameaça às conquistas dos trabalhadores”.

Terceirização de médicos cubanos: “grande conquista da medicina brasileira”.

*

Continua após a publicidade

Ajuste fiscal de FHC: “fora tucanos neoliberais!”.

Ajuste fiscal de Dilma: “é preciso ter maturidade e entender a importância do equilíbrio das contas públicas”.

*

Continua após a publicidade

Imprensa descobre que Fernando Gouveia, dono de um blog contra o PT, tem uma empresa que presta serviços ao governo de SP no valor de R$ 70 mil mensais:

– Eis um claro exemplo de conflito ético!

Imprensa descobre que Leonardo Sakamoto, dono de um blog a favor do PT, tem uma ONG que presta serviços à Secretaria de Direitos Humanos no valor de R$ 546 mil por ano:

– Eis um exemplo de uma pessoa ética!

*

Continua após a publicidade

Blogueiro conservador, sobre armas: “Contra o estado-babá! O cidadão deve assumir a responsabilidade por suas ações”.

Blogueiro conservador, sobre maconha: “A favor do estado-babá! As pessoas não sabem o que fazem”.

*

Continua após a publicidade

Feminista, sobre aborto: “As mulheres têm direito de decidir interromper a gravidez”.

Feminista, sobre cesáreas: “As mulheres não têm direito de optar pela cesárea”.

*

Continua após a publicidade

Jean Wyllys, sobre casamento gay: “O estado não deve se meter na vida privada dos cidadãos”.

Jean Wyllys, sobre economia: “O estado deve se meter na vida privada dos cidadãos”.

*

Continua após a publicidade

Adolescentes ricos ateiam fogo em índio em Brasília: “prisão perpétua para esses playboys!”.

Adolescentes pobres ateiam fogo em traficante rival: “redução da maioridade penal é fascismo”.

*

Continua após a publicidade

Pobreza na África: “a culpa é do comércio internacional, principalmente com os Estados Unidos”.

Pobreza em Cuba: “a culpa é da proibição do comércio com os Estados Unidos”.

*

Continua após a publicidade

Independência da Palestina: “é preciso respeitar o princípio da autodeterminação dos povos”.

Independência das Falklands: “As Malvinas sempre foram argentinas”.

 

@lnarloch

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)