Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Augusto Nunes Por Coluna Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Fidel Castro no Além

Um cordel de Raimundo Cazé descreve o encontro entre o ditador cubano e Satanás

Por Augusto Nunes Atualizado em 30 jul 2020, 21h07 - Publicado em 11 dez 2016, 05h20

Fidel Castro, Prime Minister of Cuba, smokes a cigar during his meeting with two U.S. senators, the first to visit Castro's Cuba, in Havana, Cuba, Sept. 29, 1974.  (AP Photo)

Primeiro ele foi ao céu
Onde foi mal recebido
E lá não pode ficar
Por ser ateu conhecido
Foi então para o inferno
Tristonho e desiludido

Na casa do satanás
Ele deu logo de cara
Com um velho guerrilheiro
O médico Che Guevara
Junto com Sadam e Chavez
Numa recepção rara

Cara a cara com o capeta
Fidel foi interrogado
Fazia muita careta
Ao falar do seu passado
E toda vez que mentia
Era ali chicoteado

Tiraram-lhe logo a barba
Puxando fio por fio
Disseram que aquilo era
Um pequeno desafio
O ditador se tremia
Como se fosse de frio

No seu quarto de dormida
Havia uma fogueira
Aquecendo o ambiente
Como uma frigideira
Um colchão de pedregulho
Numa cama de madeira

Foi o médico Che Guevara
Que para o diabo apelou
Para que tivesse pena
Do colega ditador
Que quando foi presidente
Somente o bem praticou

Che Guevara convenceu
O temível satanás
De que Fidel poderia
Criar um clima de paz
Entre o céu e o inferno
Como na terra se faz

Daí por diante o demônio
Tratou Fidel com carinho
Certo de que poderia
Trilhar um novo caminho
Coisa que nunca ninguém
Conseguiu fazer sozinho

Desconfiado da idéia
De paz com o reino de Deus
Satanás disse depressa
Que o diabo tem os seus
Passando assim a seguir
O exemplo de Mateus

Chamou Fidel a um canto
E logo ali quis saber
Que exemplo ele tinha
Para lhe oferecer
Foi aí que o ditador
Resolveu esclarecer

O meu maior inimigo
Foi os Estados Unidos
Durante 50 anos
Estivemos divididos
Mas agora temos paz
E está tudo resolvido

Mas o diabo nesse instante
Surpreendeu o Fidel
Disse que não aspirava
Fazer as pazes com o céu
E que preferia mesmo
O seu destino cruel

Continua após a publicidade

Chamou Guevara pra perto
E disse meu bom amigo
Seu colega Fidel Castro
Está livre de castigo
Você merece atenção
Pois sempre foi bom comigo

É meu médico predileto
Nada posso lhe negar
O Fidel é muito esperto
Mas eu vou lhe ajudar
Criando um departamento
Para ele comandar

Fidel Castro estremeceu
Naquele raro momento
E ali se ofereceu
Cheio de contentamento
Para criar no inferno
O setor de fuzilamento

O diabo respondeu logo
Isso aí tá superado
Fuzilar quem já morreu
Não diminui o pecado
Procure outro caminho
Que eu olharei com cuidado

Fidel sugeriu depressa
Criar um banco de dados
Dizendo a hora é essa
não vamos ser atrasados
Devemos saber depressa
Quem são nossos aliados

Satanás ficou alegre
Com a idéia em questão
Prometeu dar todo apoio
Em qualquer ocasião
Para que o banco de dados
Não fosse uma ilusão

Uma semana depois
O banco estava criado
Um acervo digital
Com nomes selecionados
Onde o velho Raul Castro
Foi o primeiro anotado

Veio o Kim Jong – un
O ditador coreano
Também Nícolas Maduro
Líder venezuelano
E ainda evo Morales
O índio boliviano

Fidel relacionou Lula
Como grande companheiro
E que muito ajudou Cuba
Com doação em dinheiro
Junto com Dilma Rousseff
Num acordo verdadeiro

Outro que entrou na lista
Foi o preso Zé Dirceu
Que segundo o ditador
Foi um bom aluno seu
E que treinado em guerrilha
Tudo o que quis aprendeu

Fidel destacou Dirceu
Como um ser iluminado
E que nunca se excedeu
Quando esteve exilado
E que hoje na prisão
Tem sido bem comportado

Ficou então comprovado
Que satanás e Fidel
Cairam um para o outro
Como a sopa no mel
E que juntos lutarão
Para derrotar o céu.

FIM

Continua após a publicidade

Publicidade