Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Viagem concluída com sucesso: nave chinesa está na órbita de Marte

Tianwen-1, a primeira missão da China ao planeta vermelho, leva também um rover, que pousará em poucas semanas

Por Sergio Figueiredo Atualizado em 10 fev 2021, 12h32 - Publicado em 10 fev 2021, 12h10

Feito inédito para a China, a nave Tianwen-1 chegou hoje ao planeta vermelho, trazendo consigo uma sonda orbital (orbiter) e um equipamento de pouso (lander), que deverá descer à superfície em algumas semanas levando um jipe semiautônomo não-tripulado (rover).

A nave espacial chinesa se junta à sonda Al Amal (Esperança), dos Emirados Árabes, que entrou na órbita marciana ontem com o objetivo de investigar o clima do planeta em baixa órbita. Dia 18, o rover da Nasa Perseverance deve completar a caravana às estrelas iniciada pelas três nações em julho do ano passado, quando o planeta vermelho estava relativamente próximo à Terra, a uma distância entre 90 e 62 milhões de quilômetros.

Nos próximos dias, a sonda orbital que compõe a Tianwen-1 esquadrinhará a superfície de Marte, determinando o melhor local de pouso para a nave que levará o rover, cujo nome será escolhido por voto popular antes da descida. Além disso, em ação simultânea, enquanto o rover explora o solo, a sonda continuará a colher informações sobre a atmosfera.

O provável local de pouso será Utopia Planitia, uma bacia de mais de 3 mil quilômetros de diâmetro, onde há indícios de água congelada. A região foi visitada pela sonda Viking 2, da Nasa, 45 anos atrás.

Confira a reportagem sobre as três missões na edição atual de VEJA.

Continua após a publicidade
Publicidade