Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Rover Perserverance extrai oxigênio da atmosfera de Marte, diz Nasa

Um instrumento do tamanho de uma bateria de carro, chamado Moxie, cumpriu a tarefa e é fundamental para manutenção das missões tripuladas

Por Alessandro Giannini 22 abr 2021, 16h11

A ficção científica está cada vais mais próxima de se tornar um fato científico. Nesta quinta-feira, a Nasa revelou mais uma experiência bem sucedida com o Perserverance, que na terça-feira converteu parte da atmosfera fina e rica em dióxido de carbono de Marte em oxigênio. Um instrumento do tamanho de uma bateria de carro a bordo do rover, chamado Experimento de Utilização de Recursos In-Situ de Oxigênio de Marte (Moxie, na sigla em inglês), cumpriu a tarefa. A missão desembarcou no planeta em 18 de fevereiro.

Processar e armazenar oxigênio em Marte é fundamental para a manutenção das missões tripuladas. “Este é um primeiro passo crítico na conversão de dióxido de carbono em oxigênio em Marte”, disse Jim Reuter, da Diretoria de Missão de Exploração Humana e Operações da agência. “Os resultados desta demonstração são promissores, à medida que avançamos no objetivo de um dia ver humanos em Marte. O oxigênio não é apenas a substância que respiramos. O propelente do foguete depende do oxigênio, e futuros exploradores dependerão desse processo para fazer a viagem de volta para casa.”

Técnico do Laboratório de Propulsão a Jato durante a instalação do instrumento para o experimento de utilização de recursos in situ de oxigênio de Marte (MOXIE), no Perseverance rover, em Pasadena, na Califórnia -
Técnico do Laboratório de Propulsão a Jato durante a instalação do instrumento para o experimento de utilização de recursos in situ de oxigênio de Marte (MOXIE), no Perseverance rover, em Pasadena, na Califórnia – R. Lannom/JPL-Caltech/Nasa

O Moxie usa reações elétricas e químicas para dividir as moléculas de dióxido de carbono, compostas por um átomo de carbono e dois de oxigênio – a atmosfera de Marte é constituída de 96% do gás. Nesta primeira operação, a sua produção foi modesta: cerca de 5 gramas de oxigênio, o que permite a um astronauta respirar durante 10 minutos. O aparelho, no entanto, foi projetado para gerar até 10 gramas de oxigênio por hora e deve repetir o processo pelo menos nove vezes ao longo de um ano marciano (quase dois anos na Terra).

Além de preparar uma futura missão tripulada, o rover Perseverance também vai buscar possíveis sinais de vida microbiana passada no solo de Marte. No início da semana, o helicóptero-drone Ingenuity, que também faz parte da missão, já havia alcançado um feito inédito ao realizar o primeiro voo motorizado em outro planeta de um equipamento construído na Terra.

Continua após a publicidade
Publicidade