Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

No México, monte de crânios em caverna tem mais de mil anos

Após uma década, análise forense revela que restos são de civilizações mesoamericanas e não de vítimas de crimes contemporâneos

Por Alessandro Giannini 5 Maio 2022, 18h54

Em 2012, policiais mexicanos que investigavam uma denúncia entraram em uma caverna de Carrizal, no município de Frontera Comalapa. Ao se depararem com uma estarrecedora pilha de crânios empilhados uns sobre os outros imaginaram estar diante de uma cena de crime muito comum no estado de Chiapas, que faz fronteira com a Guatemala, onde as gangues de criminosos atuam com violência desmedida. Após dez anos, uma análise forense apoiada pelo Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) revelou que os restos datam de mais de mil anos atrás e provavelmente foram decapitados em rituais de sacrifício.

A pilha de crânios, cerca de 150 deles, seria um altar ritualístico ou tzompantli. Utilizado por civilizações mesoamericanas como astecas, incas e maias, serviam para exibir crânios humanos de prisioneiros de guerra abatidos ou outras vítimas de sacrifícios. A ausência de esqueletos completos e vestígios de varas de madeira usados para pendurar e alinhar as caveiras corroboram a tese. “Muitas dessas estruturas eram feitas de madeira, um material que desapareceu com o tempo e poderia ter derrubado todos os crânios”, disse o antropólogo Javier Montes de Paz, pesquisador do INAH.

Arqueólogos da instituição identificaram, por meio do formato dos crânios, que eles datam entre 900 e 1200. “Três são crianças, mas a maioria é de adultos e, até agora, são mais mulheres do que de homens”, disse o pesquisador, lembrando que nenhum estava com os dentes. Nos anos 1980, descobertas semelhantes aconteceram na Cueva de las Banquetas, no município de La Trinitaria, onde 124 crânios – também sem dentes – foram recuperados. Em 1993, exploradores mexicanos e franceses descobriram cinco crânios na Cueva Tapesco del Diablo, em Ocozocoautla.


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês