Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Inverno terá temperaturas acima da média; entenda

Expectativa de temperaturas baixas será substituída por longo veranico

Por Luiz Paulo Souza Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO , Alessandro Giannini Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 21 jun 2024, 14h43 - Publicado em 21 jun 2024, 11h17

É chegado o inverno, que neste ano, teve início no final da tarde da última quinta-feira, 20. Apesar das expectativas por temperaturas mais amenas, após longos meses de calor, as previsões mais otimistas dizem ele será convertido em um longo veranico.

O que causará médias mais altas?

O inverno no Brasil é caracterizado por tempo frio e baixa umidade, causados por massa de ar seco intercaladas com massas de ar polar. Em 2024, no entanto, o Oceano Atlântico, na costa entre Santa Catarina e o Rio de Janeiro, tende a se aquecer no decorrer da estação. Além disso, a costa entre o Espírito Santo e o Rio Grande do Norte vai continuar quente. Combinados, esses fatores fortalecem a massa de ar seco sobre o continente e dificultam a chegada do ar polar.

“Isso tem muito a ver com as mudanças climáticas, é provável que todos os invernos sejam assim”, afirma Regina Rodrigues, Professora de Oceanografia e Clima da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Coordenadora dos Grupos de trabalho sobre Risco Climático e Ondas de Calor Marinhas do Programa Mundial de Pesquisas Climáticas da ONU, em entrevista a VEJA. “O aquecimento global leva a intensificação de fenômenos climáticos, especialmente das massas de ar quente, o que impede a formação de nuvens e aumenta a incidência de radiação solar.”

Ondas de frio deverão acontecer, mas, de acordo com as previsões, elas devem ser mais curtas que o usual. Na região Sul do país, onde a massa de ar seco não é está tão forte quanto no restante do Brasil, os episódios de temperatura baixa devem ser mais frequentes — com possibilidade, inclusive, de geada e neve — entre meados de julho e início de setembro.

MÉDIA ALTA - Inverno: mapa do Instituto Nacional de Meteorologia mostra temperaturas acima da média no país
MÉDIA ALTA – Inverno: mapa do Instituto Nacional de Meteorologia mostra temperaturas acima da média no país (INMET/Reprodução)

Como ficarão as chuvas?

Essa estação é caracterizada pelo tempo seco e isso deve se manter em 2024. O Rio Grande do Sul, no entanto, continuará recebendo chuvas fortes, assim como o litoral entre Rio Grande do Norte e sul da Bahia.

Na Amazônia, de acordo com o Climatempo, a longa seca que atinge a região há meses deve persistir pelo menos até a primeira quinzena de outubro.

A La Niña tem algum papel nisso?

Não. Embora o El Niño já seja dado como finalizado e a La Niña — fenômeno caracterizado pelo resfriamento acima do normal da porção central e leste do oceano Pacífico Equatorial — comece a ganhar corpo, ela ainda não está exercendo um efeito notável sobre o clima. “Quando esse fenômeno se estabelecer, veremos um aumento da seca também nos estados do sul”, explica Rodrigues.

De acordo com um relatório recente da Organização Meteorológica Mundial, a expectativa é de que a La Niña se estabeleça, de fato, entre agosto e outubro, quando os efeitos começarão a ser sentidos nas temperaturas e na pluviosidade da primavera e do verão.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.