Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Cientistas descobrem bebê dinossauro dentro de fóssil de ovo

Apelidado pelos pesquisadores de Baby Yingliang, o animal estava se preparando para chocar

Por Da Redação
Atualizado em 22 dez 2021, 06h57 - Publicado em 21 dez 2021, 20h13

Um embrião de dinossauro perfeitamente preservado, com cerca de 66 milhões de anos, mostra que o comportamento de algumas aves tem origem no passado distante. Apelidado pelos pesquisadores de Baby Yingliang, o animal estava se preparando para sair do ovo. O fóssil foi descoberto em Ganzhou, no sul do país, e pertencia a um dinossauro terópode desdentado, ou oviraptorossauro.

“É um dos melhores embriões de dinossauro já encontrados na história”, disse à agência France Presse Fion Waisum Ma, pesquisador da Universidade de Birmingham e coautor de um artigo sobre o assunto publicado nesta terça-feira, 21, na revista iScience. Ma e seus colegas descobriram que a cabeça de Baby Yingliang estava abaixo de seu corpo, com os pés de cada lado e as costas curvados.

É um comportamento adotado pelos pássaros. Quando os pintinhos se preparam para chocar, enfiam a cabeça sob a asa direita para estabilizá-la enquanto quebram a casca com o bico. “Isso indica que esse comportamento nos pássaros modernos evoluiu e se originou entre seus ancestrais dinossauros”, disse Ma.

Oviraptorossauro, que significa “lagartos ladrões de ovos”, eram dinossauros com penas que viveram no que hoje é a Ásia e a América do Norte durante o período do Cretáceo Superior. Eles tinham formas de bico e dietas variadas, além de diversos tamanhos. Baby Yingliang mede cerca de 27 centímetros de comprimento, da cabeça à cauda, e fica dentro de um ovo de 17 centímetros no Museu de História Natural da Pedra de Yingliang.

Continua após a publicidade
Baby Yingliang
Fóssil do embrião oviraptorossauro ‘Baby Yingliang’ encontrado em Ganzhou, província de Jiangxi, sul da China – (Universidade de Birmingham / Lida Xing/AFP)

Os pesquisadores acreditam que a criatura tem entre 72 milhões e 66 milhões de idade, e provavelmente foi preservada por um deslizamento repentino que enterrou o ovo. O animal teria crescido de dois a três metros se tivesse vivido até a idade adulta e provavelmente teria se alimentado de plantas. O espécime era um dos vários fósseis de ovo que foram esquecidos por décadas em depósitos.

A equipe de pesquisa suspeitou que eles podem conter dinossauros não nascidos e raspou parte da casca do ovo do bebê Yingliang para descobrir o embrião escondido dentro. “Este pequeno dinossauro pré-natal se parece com um filhote de passarinho enrolado em seu ovo, o que é mais uma evidência de que muitas características características dos pássaros de hoje evoluíram em seus ancestrais dinossauros”, disse o professor Steve Brusatte, da Universidade de Edimburgo, que faz parte da equipe de pesquisa, em um comunicado.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.