Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Aquecimento global piorou a seca no leste africano, aponta relatório

4,3 milhões de moradores necessitam assistência humanitária

Por Luiz Paulo Souza Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 28 abr 2023, 10h15 - Publicado em 28 abr 2023, 09h01

A seca que atinge países do leste africano é um problema que, há décadas, chama a atenção de todo o mundo, um problema que é agravado pela pobreza da região. Até agora, países desenvolvidos não têm agido de maneira contundente para amenizar essa situação. Um relatório divulgado essa semana, contudo, pode forçar uma tomada de ação. Pesquisadores da World Weather Attribution apontam que a seca da última década foi agravada pelo aquecimento global

O grupo analisou históricos climáticos e modelos computacionais desde o século XIX. Os resultados mostraram que, desde 2020, seis períodos de chuva tiveram níveis de pluviosidade menores do que o esperado, o que resultou na pior seca em 40 anos

Como consequência, as colheitas e as pastagens diminuíram, grande parte do gado morreu, a água superficial se tornou escassa e os conflitos humanos aumentaram, o que deixou pelo menos 4,3 milhões de moradores em necessidade de assistência humanitária. De acordo com a Organização das Nações Unidas, mais de 20 milhões foram afetados pela seca entre Quênia, Etiópia, Somália, Uganda e Sudão do Sul.

Para o cientista sênior da University College London e líder do estudo, Friederike Otto, em entrevista à Associated Press, esses dados evidenciam o quão mais fortes são as consequências do aquecimento global em países mais vulneráveis.

Continua após a publicidade

Apesar das chuvas terem aumentado em 2023, a recuperação ainda não será suficiente para remediar a grave situação de insegurança alimentar, que atinge cerca de 15 milhões de crianças. 

A Conferência das Nações Unidas para Mudanças Climáticas (COP) discute anualmente esses impactos e a cada reunião aumentam as pressões para que medidas mais práticas sejam tomadas pelos países que, historicamente, mais contribuíram com o aquecimento global. A medida que os relatórios do Painel Intergovernamental de Mudança do Clima (IPCC) apontam uma janela menor para a resolução desses problemas, o impacto sobre os países mais pobres fica cada vez mais evidente. Medidas para diminuir a gravidade desse problema são urgentes. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.