Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Volta para 44 nº de possíveis vítimas após desabamento de prédio em SP

Essas pessoas, porém, não são consideradas desaparecidas porque não há confirmação de que estavam no local

O número de possíveis desaparecidos no prédio de 24 andares que desabou na madrugada desta terça-feira, em Sã Paulo, voltou para 44 pessoas. A única pessoa considerada oficialmente desaparecida é um homem identificado como Ricardo, que chegou a passar pelo processo de resgate, mas acabou caindo no momento em que o edifício ruiu. Na madrugada desta quarta, circulou a informação de que o número de o número de pessoas não localizadas havia caído de 45 para 34, mas o número foi revisto pela Secretaria de Assistência Social da Prefeitura.

As 44 pessoas que ainda não foram encontradas não são consideradas desaparecidas porque não há confirmação de que estavam no local no momento do desabamento. “Não temos nenhum indício de que elas estejam lá. Indício, por exemplo, é o depoimento de alguma pessoa que viu alguém ficar para trás, que sabia que ela morava no andar de cima”, disse o porta-voz do Corpo de Bombeiros, capitão Marcos Palumbo. Ele informou que os não localizados podem ser moradores de rua eventuais, frequentadores do prédio ou mesmo pessoas que já deixaram o local.

Apenas um homem, incluído entre os 44 moradores não encontrados, é tratado oficialmente como desaparecido até agora. Trata-se da vítima que os bombeiros tentaram resgatar no nono andar do prédio, mas acabou caindo no momento em que o edifício, em chamas, desabou.

Palumbo declarou que “só um milagre” para que ele esteja vivo, mas ressaltou que as buscas estão sendo feitas considerando que a vítima ainda pode estar com vida. “Não podemos perder a possibilidade de localizar essa vítima sem que haja uma movimentação estrutural brusca. Se mexo com retroescavadeira, pode alterar algum ponto, como um bolsão de ar em que essa vítima possa estar.” Somente serão usados aparelhos pesados, como restroescavadeiras após 48 horas do desmoronamento.

Os trabalhos do Corpo de Bombeiros no local se estenderão pela madrugada, em uma atividade de resfriamento dos escombros. Do entulho ainda sai uma intensa quantidade de fumaça branca, que os bombeiros afirmam ser vapor d’água. Segundo a corporação, cem homens manterão as atividades durante o início desta quarta-feira (2).

 (Google Earth/VEJA)

(com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)