Clique e assine com até 92% de desconto

Vitamina, hotel e psicólogo: como a Prevent Senior socorre sua equipe

Há sete funcionários do plano de saúde internados com Covid-19 no principal hospital da companhia

Por João Batista Jr. Atualizado em 24 mar 2020, 12h51 - Publicado em 24 mar 2020, 12h13

Assustados, mas amparados. É assim que médicos, enfermeiros e fisioterapeutas da Prevent Senior têm se sentido após a empresa virar um dos principais epicentros do coronavírus no Brasil. Até a manhã desta terça, 24, a companhia contabilizava ao menos cinco mortes (no Brasil, foram 34 casos fatais, sendo 30 deles no estado de São Paulo). O país somava na manhã desta terça, 24, um total de 1891 infectados pela Covid-19.

O primeiro boom de contaminados no país se deu pelos idosos, justamente a população atendida pelo plano de saúde. A média de idade dos associados é de 68 anos. Há 80.000 cadastrados com mais de 80 anos. Ao contrário da concorrência no setor, a Prevent Senior tem uma gestão horizontal: plano de saúde, hospital e médicos são parte da mesma empresa — daí ela ter o controle (e responsabilidade) por tudo o que acontece.

Com filas de pacientes com suspeita de coronavírus lotando o pronto socorro e também de pacientes que testaram positivo ocupando os leitos de UTI, a Prevent precisou agir logo para não criar pânico generalizado entre seus funcionários. “Não tem como não ver muita gente contaminada ao redor e não pensar que posso ser o próximo”, diz um médico sob condição de anonimato. “O medo é tão grande que, mesmo em casa, eu estou usando máscara cirúrgica com receio de passar algo para os meus filhos”, afirmou um outro médico.

  • Diante disso tudo, Prevent adotou medidas para cuidar da saúde física e mental de seus colaboradores. Como forma de evitar pânico de transmissão entre parentes, foi oferecida hospedagem em um hotel ao lado do hospital de São Paulo que concentra a maior parte dos casos. A proposta foi acatada por 200 profissionais, que preferem não retornar às suas casas para não correr o risco de contaminar familiares. A jornada de trabalho foi reduzida para uma escala de oito horas diárias, em vez das doze habituais. Os funcionários também receberam uma vitamina chamada Impact como forma de fortalecer a imunidade e ganharam atendimento psicológico para encarar a crise.

    No fim de semana, circulou entre a equipe médica um vídeo gravado pelos funcionários do administrativo da empresa agradecendo aos profissionais de saúde por estarem no front contra o vírus. Uma medida de RH, claro, mas que pegou bem entre médicos e enfermeiros. No momento, há sete funcionários da Prevent Senior internados com coronavírus. A assessoria da empresa diz não ter autorização para falar o número de infectados na rede, mas funcionários em anonimato afirmam que esse número ultrapassa 350 pessoas. Até quinta, 19, havia 97 pacientes com coronavírus internados na unidade do bairro do Paraíso, em São Paulo, onde 107 leitos Em outro endereço, em Santa Cecília, , o total era de 60 internados para uma capacidade de 114 leitos. Denúncias de associados do plano ou de seus familiares por problemas nos atendimentos começaram a pipocar no principal site de defesa dos consumidores, o Reclame Aqui.

    Em meio a tantos dados preocupantes, uma boa notícia: desde o início da crise, ocorreram 30 altas de pacientes com coronavírus na rede Prevent Senior. Enfermeiros do pronto-socorro da unidade do Paraíso, onde na semana passada estava um caos, relatam agora um clima de maior “tranquilidade” e de menor clima de desespero. Mas todos sabem que a batalha ainda está apenas no começo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade