Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros, em SP, reabre em 18 de março

Bruno Covas anunciou que circulação de carros leves será liberada; prefeitura não decidiu tráfego será restrito durante obras de manutenção

Por Estadão Conteúdo - 12 fev 2019, 14h31

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciou nesta terça-feira, 12, que o viaduto que cedeu na Marginal do rio Pinheiros, na zona oeste, terá o acesso aberto para carros leves a partir do dia 18 de março. Segundo Covas, as obras emergenciais estão em processo de finalização, cujo resultado será testado durante o carnaval. Já os trabalhos de manutenção ocorrerão quando a estrutura já estiver em funcionamento. A estrutura está interditada desde 15 de novembro.

“Isso depende agora dessa confirmação, desses testes de peso que serão realizadas durante o período do carnaval, para poder confirmar essa hipótese que os técnicos têm hoje: que é possível a utilização do viaduto durante as obras de manutenção”, disse o prefeito.

“Todas as ações emergenciais que a gente já vem desenvolvendo aqui, a recuperação da viga, do pilar, a recuperação agora do tabuleiro, essas fibras de carbono permitem dar mais agilidade à construção do tabuleiro [estrutura metálica que ajuda a sustentar viaduto]… De forma que a gente já tem uma previsão de poder separar essas obras emergenciais das obras de manutenção, que vão poder ser feitas já com o viaduto sendo utilizado pela população”, afirmou.

Covas também anunciou que publicará na próxima semana um edital de obras de manutenção do viaduto. Por isso, não há prazo para a liberação do tráfego de veículos pesados. “Nessas obras que não são emergenciais, que são de manutenção, a gente não vai mais utilizar contrato emergencial. Como são de manutenção e elas podem ser realizadas com o viaduto sendo utilizado, a gente não consegue justificar uma contratação emergencial”, explicou o tucano.

Publicidade

O prefeito paulistano disse, ainda, que não está definido se haverá restrição de horário para o tráfego durante as obras de manutenção. O custo das obras emergenciais foi de 20 milhões de reais e a expectativa é que as de manutenção custem 10 milhões de reais.

A partir desta terça-feira, 12, o trens da Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) poderão circular em velocidade normal sob o viaduto.

Publicidade