Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Tiroteio na Rocinha provoca bloqueio de ruas. Pezão pede Exército

O tiroteio começou depois que policiais do Batalhão de Choque fizeram um cerco a criminosos

Por Da Redação Atualizado em 22 set 2017, 15h11 - Publicado em 22 set 2017, 11h31

Outro intenso tiroteio tomou conta da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, durante a manhã desta sexta-feira 22. Por volta das 10 horas, a prefeitura bloqueou a estrada Lagoa-Barra e fechou o túnel Rafael Mascarenhas, nos dois sentidos. A troca de tiros começou depois que policiais do Batalhão de Choque fizeram um cerco a criminosos em uma área de mata no entorno da Rocinha. A polícia militar realiza operações no local desde o último domingo 17, quando facções rivais iniciaram um confronto pela disputa de pontos de droga.

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e o secretário de Segurança Pública, Roberto Sá, pediram ao Comando Militar do Leste (CML) a atuação das forças militares na Rocinha. O cerco deve acontecer nas próximas horas, segundo informou o governo do estado. No Twitter, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, concordou com o pedido: “A pedido do governador Pezão, autorizei o emprego das FAs em apoio à ação da polícia na Rocinha”.

“Estamos com indícios da presença de traficantes em uma região que estamos avançando. Temos certeza de que a reação que está ocorrendo no asfalto é por causa disso, nós não vamos recuar”, disse o governador. “Vamos avançar, estamos entrando com helicópteros, com mais gente do Bope e com agentes do Choque.”

O secretário de segurança

Roberto Sá confirmou que há uma autorização do ministério da Defesa para deslocar o Exército para as operações na Rocinha. Ele também explicou que o governo avaliava a ação na região há alguns dias. “Estávamos monitorando e avaliando a escalada da implementação de recursos. Hoje pela manhã surgiu uma necessidade”, afirmou. “É importante a sociedade saber que o Estado e a União estão juntos e medindo os recursos. Não se coloca todo recurso no primeiro incidente. Isso é uma doutrina mundial e estamos aplicando aqui.”

Segundo o comando do Exército no Rio de Janeiro, as tropas disponíveis para atuar na Rocinha são integrantes da polícia do Exército. Não foi passado à imprensa o horário em que as guarnições serão deslocadas para a favela.

Continua após a publicidade

Outro confronto

No fim de semana, os moradores da favela da Rocinha viveram momentos aterrorizantes. O tiroteio começou pela manhã e se intensificou com a chegada dos policiais. Vários carros foram alvejados pelos disparos e uma pessoa, identificada pela polícia como Tiago Fernandes, de 25 anos, foi baleada e não resistiu aos ferimentos.

Na manhã de segunda-feira 18, a polícia prendeu três pessoas e apreendeu duas granadas, além de roupas do Exército e de fuzileiros navais. De acordo com a PM, também foram encontrados dois corpos carbonizados, recolhidos pela Delegacia de Homicídios. As ações policiais ocorreram ainda no Morro do Vidigal, entre os bairros de São Conrado, Leblon e Gávea.

(Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)