Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sabesp arrecada mais com multa do que perde com bônus em fevereiro

No mês passado, companhia recebeu dos 'gastões' valor 40% superior às perdas referentes ao bônus concedido a quem economiza água

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) arrecadou 40% mais dinheiro com a multa para quem aumentou o consumo de água do que deixou de arrecadar com a concessão de bônus para quem economizou o recurso em fevereiro. Foi a primeira vez que a receita com a sobretaxa superou as perdas com os descontos desde o início da crise hídrica.

Dados apresentados nesta terça-feira pela Sabesp mostram que a companhia arrecadou 50,8 milhões de reais com a sobretaxa na conta dos chamados “gastões”. Por outro lado, a companhia deixou de receber 36,3 milhões de reais por causa dos descontos nas faturas em fevereiro, o primeiro mês após as mudanças que dificultaram a concessão do bônus aos consumidores.

Segundo o diretor econômico-financeiro da Sabesp, Rui Affonso, esse resultado inédito, aliado à melhora da situação hídrica da Grande São Paulo a partir de setembro de 2015, levou a Sabesp a solicitar à agência reguladora do setor (Arsesp) o cancelamento do bônus e da multa a partir de 1º de maio.

“Em nenhum momento criamos ou mantivemos a tarifa de contingência (sobretaxa) com objetivo arrecadatório. Tanto é assim que no primeiro mês em que a tarifa de contingência superou o bônus nós protocolamos na Arsesp o pedido de suspensão de ambos, reiterando nossa posição de que o objetivo não era arrecadatório, mas sim adequar a demanda à oferta de água na Região Metropolitana de São Paulo”, disse Affonso.

Os números mostram que entre janeiro e fevereiro o valor arrecadado com a multa de até 50% na conta para quem gastar mais água do que consumia antes da crise subiu 2,4%, de 49,6 milhões de reais para 50,8 milhões de reais, enquanto que a perda de receita com o bônus de até 30% na fatura despencou 54,3% no período, de 79,4 milhões de reais para 36,3 milhões de reais.

Histórico – O bônus foi lançado em fevereiro de 2014, no início declarado da crise hídrica, dando desconto de 30% para quem economizasse 20% de água. A partir de janeiro deste ano, após a recuperação do volume morto do Sistema Cantareira, a Sabesp alterou as regras de concessão do benefício, obrigando o consumidor a reduzir em mais 22% o consumo para obter a mesma vantagem financeira. O resultado foi queda de 33% no número de consumidores que receberam o bônus entre janeiro e fevereiro, segundo dados da Sabesp.

Desde janeiro de 2015, quando a multa foi implantada, a Sabesp já arrecadou 600 milhões de reais com a sobretaxa, enquanto deixou de arrecadar 1 bilhão de reais com o bônus no mesmo período.

(Com Estadão Conteúdo)