Clique e assine a partir de 9,90/mês

Propina em picanhas

Vídeo mostra como agiam os fiscais corruptos do Ministério da Agricultura que pediam dinheiro e carne para não criar dificuldades a uma rede de restaurantes

Por Felipe Frazão - Atualizado em 27 mar 2017, 13h34 - Publicado em 24 mar 2017, 21h40

Os fiscais corruptos presos na Operação Carne Fraca também gostavam de uma boa carne fresca. Para “aliviar” alguns fabricantes, eles, além de dinheiro, aceitavam suborno em mercadorias nobres. O chef Junior Durski, proprietário da rede de restaurantes Madero, conta como o esquema funcionava. Para evitar problemas como a paralisação de seu frigorífico, o Madero submeteu-se ao achaque e passou dar caixas de picanha, filé mignon e hambúrguer a uma dupla de fiscais, além de uma mesada de 2.000 reais a cada um.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Publicidade