Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PF apreende livro de ‘Frozen’ com drogas no Aeroporto de Guarulhos

Três mulheres que levavam o objeto foram presas; no mesmo dia, a PF prendeu outros sete passageiros de voo internacionais com entorpecentes

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta quarta-feira, 15, dez passageiros de voos internacionais com quase 50 quilos de drogas no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Em uma das ações, foram apreendidos cerca de seis quilos de entorpecentes com duas brasileiras e uma venezuelana, encontrados pelos policiais dentro de um livro infantil do filme Frozen, da Disney, e em três pastas executivas.

As três mulheres embarcariam em um voo com destino à África. Na mesma aeronave, foram apreendidos mais de onze quilos de cocaína com dois homens, um de Serra Leoa e outro da Nigéria, dentro de três pastas executivas e nove latas de doces.

Em um voo com destino a Zurique, na Suíça, com escala em Lisboa, Portugal, foram apreendidos quase trinta quilos de cocaína na bagagem de duas passageiras de 25 e 28 anos, naturais do Paraná. A PF encontrou a droga em fundos falsos na mala e em embalagens de cosméticos. Com elas, estava uma criança de 6 anos de idade, que foi entregue ao Conselho Tutelar. As mulheres receberam voz de prisão por tráfico internacional de drogas.

Naquele mesmo voo, uma equipe de policiais encontrou pouco mais de cinco quilos de cocaína no fundo falso de duas malas de um casal de Roraima. Segundo a PF, um homem de 30 anos e uma mulher de 28 anos aparentavam nervosismo na fila do check-in e foram entrevistados separadamente. Como o depoimento dos dois eram muito diferentes, a bagagem foi revistada. Quando vazia, os policiais desconfiaram do peso e encontraram a droga.

Durante a fiscalização de passageiros de um voo com origem em Lisboa, uma brasileira de 28 anos foi presa com cinco quilos de metanfetamina. A droga também foi localizada em fundos falsos da mala da passageira.

Segundo informações da PF, “os presos serão encaminhados aos presídios estaduais, onde permanecerão à disposição da Justiça”.