Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Número de mortos em rompimento de barragem em MG sobe para 65

Segundo a Defesa Civil estadual, ainda há 279 pessoas desaparecidas

Por Da Redação Atualizado em 29 jan 2019, 11h11 - Publicado em 28 jan 2019, 20h51

Subiu para 65 o número de pessoas mortas em decorrência do rompimento de uma barragem da Vale em Brumadinho (MG) na sexta-feira passada – no início do dia, o número chegava a 60. Segundo a Defesa Civil mineira, ainda há 279 desaparecidos. Outras 386 pessoas, entre trabalhadores da companhia e moradores da região, foram localizados e resgatados.

Nesta segunda-feira, 28, os trabalhos ficaram concentrados na área onde foi encontrado um ônibus. O resgate tem um grau de dificuldade maior, segundo a Defesa Civil, por causa da quantidade e da movimentação da lama. Os trabalhos devem ser encerrados às 22h e retomados às 4h de terça-feira.

Com a ajuda de helicópteros, é provável que o número de mortos aumente na manhã desta terça-feira, já que foi localizado, por meio dos mobiliários, o refeitório da Vale, onde havia uma concentração de funcionários no momento do rompimento.

Também nesta segunda-feira, a Vale anunciou quatro medidas para amenizar os impactos da tragédia, incluindo o repasse de 100 mil reais para cada família dos mortos. Também serão contratados profissionais do Hospital Albert Einstein para o atendimento psicológico dos atingidos pela tragédia.

Outra medida anunciada foi a implementação de uma cortina de contenção no rio Paraopeba – bastante atingido pela lama que vazou da barragem – para garantir a captação de água no município de Pará de Minas, em Minas Gerais. A companhia também informou que vai manter o pagamento de impostos para Brumadinho.

Drones

O Corpo de Bombeiros alertou a população para que não utilize drones na região. “Hoje, aeronaves tiveram que fazer manobras de emergência para evitar acidentes. Isso coloca em risco a vida das pessoas e o funcionamento da operação”, afirmou o tenente Pedro Aihara, porta voz dos bombeiros mineiros.

Outro pedido é que as pessoas não se aventurem para tentar ajudar no resgate. Nesta segunda-feira, a operação de uma das aeronaves foi interrompida para que ela pudesse resgatar uma pessoa com lesão no rosto que estava sozinha tentando encontrar desaparecidos.

Israel

As equipes de Israel estão no local do acidente mas ainda estão realizando estudos para adaptar os equipamentos que estão acostumados a trabalhar em condições com topografia estabelecida e superfície lisa, o que não é o caso. Por causa da lama o solo está muito irregular. Segundo o Corpo de Bombeiros os equipamentos oferecem ‘recursos positivos’.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês