Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MP denuncia outro assessor de Paes que agrediu a mulher

Bernardo Fellows, subchefe de gabinete do prefeito do Rio de Janeiro, ameaçou a esposa dentro de um restaurante de Ipanema, na Zona Sul da cidade, em 2014

Enquanto o candidato Pedro Paulo Carvalho, braço-direito de Eduardo Paes, tenta se livrar da Justiça pelos episódios de espancamento contra sua ex-mulher, outro assessor do prefeito do Rio de Janeiro entrou na mira do Ministério Público. Na última quarta-feira, o promotor Luís Otávio Figueira Lopes denunciou o subchefe de gabinete de Paes, Bernardo Lahmeyer Fellows, de 35 anos, por ter ameaçado e agredido a mulher na saída de um restaurante em Ipanema, em 2014. O caso foi revelado pelo site de VEJA em novembro do ano passado, mas, na época, sua mulher, Viviane Cristine Ferreira Lahmeyer, se recusou a falar sobre o episódio.

As agressões aconteceram na noite de 29 de abril daquele ano, enquanto a jovem dentista jantava com um amigo no Zazá Bistrô, na Rua Joana Angélica. Com ciúmes, Bernardo foi ao estabelecimento tomar satisfações da mulher e, segundo a denúncia do MP, o assessor de Paes “ameaçou a vítima, dizendo que iria ferrar com ela”. Além disso, Viviane foi “puxada violentamente pelo braço, com o fim de retirá-la do restaurante onde se encontrava”.

O episódio ocorreu menos de um mês depois de Bernardo ser nomeado pelo próprio prefeito em seu gabinete. Mesmo assim, naquela noite, Viviane decidiu ignorar o fato de o marido ser bem articulado politicamente e decidiu levar o caso adiante, procurando a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam). “A Viviane foi agredida pelo ex-marido, pelo menos, cinco vezes durante os dez anos de casamento. A última, que deu origem à recente denúncia do Ministério Público, foi a mais branda, mas a única que teve coragem de relatar”, explicou a advogada da dentista, Juliana Bierrenbach.

O problema é que, mais uma vez, a morosidade imperou. No caso de Pedro Paulo, o descaso já tinha sido uma marca registrada do inquérito, que ficou parado por quase seis anos, desde que o candidato agrediu e chegou a quebrar um dente da ex, Alexandra Marcondes, em 2010. Assim como na Polícia Civil fluminense, aliás, o caso também se arrasta agora nas instâncias superiores e, dentro da prefeitura, todos dão como certo que o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), vai pedir o arquivamento, depois que alguns personagens envolvidos – a babá que testemunhou e a ex-mulher – praticamente voltaram atrás em suas versões.

Bernardo confiava tanto na impunidade que, duas semanas depois de VEJA revelar o caso de Pedro Paulo, em outubro do ano passado, o subchefe de gabinete de Paes ameaçou uma namorada que não queria mais o relacionamento. O registro 03079/2015 foi feito por Patrícia Proença dos Santos, funcionária do gabinete do vereador Marcelo Arar (PT), na mesma Delegacia de Mulher de Jacarepaguá. “Ainda bem que você voltou para mim, pois os meus planos eram te matar e me matar”, ele teria dito, segundo depôs a jovem, que ganhou na Justiça uma medida protetiva que obrigava Bernardo Fellows a se manter a pelo menos 200 metros dela. A divulgação deste episódio, de acordo com a advogada de Viviane, foi o estopim para que o casal se divorciasse, em novembro de 2015.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sonia Martins

    O mayor do Rio de Janeiro está com problemas na escolha de seus fellows…

    Curtir

  2. São tarados por MBA: mulheres bem “apanhadas”.

    Curtir