Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Moro envia Força Nacional para área indígena sob ataque no Amazonas

O posto da Funai na região foi alvo de oito ataques a tiros nos últimos 12 meses. O Vale do Javari abriga tribos de índios isolados

Por Roberta Paduan - 4 dez 2019, 12h07

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, determinou o envio de tropas da Força Nacional para a região do Vale do Javari, no Amazonas. O objetivo é garantir a segurança de indígenas e servidores da Fundação Nacional do Índio (Funai) que vivem e trabalham no local e estão sob ataques há pelo menos um ano.

Nos últimos 12 meses, desde novembro de 2018, o posto da Funai na região foi atacado oito vezes a tiros. Quatro ataques ocorreram nos últimos dois meses. A Polícia Federal investiga se a morte de Santos tem relação com os ataques à base da Funai.

Em setembro do ano passado, um colaborador da Funai, Maxciel Pereira dos Santos, de 31 anos, foi assassinato na cidade de Tabatinga, próximo da fronteira com a Colômbia e Peru. Santos foi morto a tiros na frente da família. Ele era policial militar e trabalhava como colaborador eventual da Funai na área indígena.

A portaria publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira 4 inclui a área da Frente de Proteção Etnoambiental do Vale do Javari, que inclui a base de vigilância de Ituí, principal posto da Funai para proteção de índios isolados do país.

Publicidade

Os militares permanecerão na região por 180 dias a contar de sexta-feira, 6 de dezembro. A saída, prevista para junho de 2020, porém, pode ser prorrogada. De acordo com a portaria, a medida “serve para garantir a integridade física e moral dos povos indígenas e dos servidores da Funai”.

Publicidade