Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministros do Brasil e Argentina apoiam cooperação

Por Gustavo Uribe

São Paulo – Os ministros da Defesa do Brasil e da Argentina defenderam hoje o aprofundamento de uma política de segurança para a América do Sul, que passaria, inclusive, pela formação de parcerias no desenvolvimento de tecnologia de defesa. Celso Amorim e Arturo Puricelli ressaltaram a importância de uma maior cooperação entre as duas nações tanto na área estratégica como na formação de uma política de produção industrial para a área. Ambos participaram do 6º Seminário Livro Branco de Defesa Nacional, promovido na capital paulista.

Em discurso, o ministro argentino convidou o Brasil para que integre a Agência Espacial Sul-Americana, proposta capitaneada pela Argentina. O ministro brasileiro avaliou a proposta como “positiva e adequada”. Amorim lembrou, no entanto, que o Programa Espacial Brasileiro não é competência prioritária do Ministério da Defesa, mas da Agência Espacial Brasileira, subordinada do Ministério de Ciência e Tecnologia.

“Mas, evidentemente, temos uma participação importante também neste processo e me pareceu algo muito positivo”, afirmou. O ministro brasileiro ressaltou que todas as iniciativas que contribuam com o desenvolvimento conjunto da América do Sul são vitais. Amorim defendeu ainda a formação do que chamou de “comunidade de segurança”, uma área onde, segundo ele, uma eventual guerra se tornaria “impensável”. “Essa cooperação entre Brasil e Argentina, que tem sido sempre o motor inicial da integração sul-americana, tende a se desenvolver”, disse.

O ministro argentino destacou que a proposta de desenvolvimento da Agência Espacial Sul-Americana precisa ser trabalhada entre Brasil e Argentina, mas disse acreditar que as duas nações vão avançar na proposta. Em discurso, o ministro argentino defendeu que as nações latino-americanas devem trabalhar em conjunto na proteção de seus recursos naturais.

Ele também destacou que o desenvolvimento da região está atrelado a um sistema de defesa sustentável. Puricelli lembrou que a empresa Aerolíneas Argentinas adquiriu nos últimos anos aviões da Embraer e ressaltou que essa parceria tecnológica deve ser estendida. O ministro argentino defendeu ainda o desenvolvimento de radares e satélites em parceria com países da região.