Clique e assine com 88% de desconto

MG tem nova suspeita de coronavírus em Belo Horizonte

Paciente de 22 anos estava em viagem à China e, de acordo com pessoas próximas ao caso, passou por Wuhan, cidade onde o vírus se originou

Por João Pedroso de Campos - Atualizado em 27 jan 2020, 20h22 - Publicado em 27 jan 2020, 19h48

O governo de Minas Gerais trabalha com a suspeita de um caso de coronavírus em Belo Horizonte, o segundo em menos de uma semana. A paciente, uma mulher de 22 anos, estava em viagem à China e, de acordo com pessoas próximas ao caso, desembarcou na capital mineira vinda de Wuhan, cidade onde o vírus se originou e que está isolada pelo governo chinês. O país asiático registrou 81 mortes pelo coronavírus até o momento.

A paciente foi atendida na última sexta-feira, 24, em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Bairro Santa Efigênia, em Belo Horizonte, com sintomas respiratórios e febre baixa. Segundo o governo Romeu Zema, a mulher está internada na UPA, passa bem e será transferida ao hospital Eduardo de Menezes, que acompanhará a evolução dos sintomas.

“O caso será discutido com o Ministério da Saúde e assim que tivermos novas atualizações, iremos informar”, diz nota oficial.

No final da semana passada, uma mulher de 35 anos que chegara de viagem a Xangai, também na China, foi internada no Eduardo de Menezes com os sintomas do coronavírus. O caso foi tratado como suspeito da doença pelo governo mineiro, mas o Ministério da Saúde negou o enquadramento, com base em orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Depois, a Secretaria Estadual de Saúde também descartou a suspeita.

Publicidade

De acordo com o critério atual, a definição de caso por coronavírus se restringe à transmissão entre pessoas (familiares ou profissionais de saúde) que estiveram ou se encontram em Wuhan, epicentro do surto. Os sintomas são febre e sintomas respiratórios, como tosse e dificuldades para respirar, apresentados em até duas semanas após a infecção.

Em entrevista coletiva na quinta-feira 23, o Ministério da Saúde informou que já havia descartado quatro casos suspeitos de coronavírus no Brasil antes de também desconsiderar a primeira ocorrência em Minas Gerais. Os casos surgiram nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Distrito Federal, e foram registrados entre os dias 18 e 21 de janeiro.

Publicidade