Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Louvre expressa solidariedade ao Museu Nacional: ‘Grande perda’

Emmanuel Macron oferece a ajuda de especialistas franceses para a reconstrução da instituição destruída pelas chamas

O tradicional Museu do Louvre, em Paris, na França, expressou solidariedade ao Museu Nacional do Rio de Janeiro, que foi consumido por um incêndio que começou na noite de ontem, 2 de setembro. O presidente da França, Emmanuel Macron, ofereceu a ajuda de especialistas franceses para a reconstrução do edifício histórico. 

“É com grande tristeza que recebemos a notícia do incêndio dramático que atingiu o Museu Nacional do Rio de Janeiro. O Museu do Louvre manifesta sua mais forte solidariedade com o museu e suas equipes. É uma grande perda para o Brasil e para o patrimônio mundial”, escreveu a instituição em seu Twitter.,

Macron afirmou que o incêndio do Museu do Rio é “uma tragédia”. “São a história e a memória reduzidas a cinzas. A França oferecerá seus especialistas a serviço do povo brasileiro para contribuir com a reconstrução”, disse pelo Twitter.

A ministra da Cultura da França, Françoise Nyssen, informou por comunicado ter oferecido ao embaixador do Brasil em Paris, Paulo César de Oliveira Campos, a oferta de “todo conhecimento dos agentes do Ministério da Cultura em aspectos de museologia, conservação e gestão de coleções e arquivos”.

“As equipes dos museus franceses estão à inteira disposição das equipes brasileiras”, insistiu Françoise, que lamentou especialmente a destruição dos arquivos científicos guardados pelo museu, como o fóssil de Luzia, o mais antigo hominídeo encontrado no Brasil.

Outra relevante instituição cultural, o Museu de História Natural de Londres, também lamentou o caso. “Nossos pensamentos estão com todos do Museu Nacional e todos os brasileiros após essa terrível notícia e devastadora perda para o patrimônio e para a ciência.” A Biblioteca Nacional britânica também se manifestou nas redes sociais, ressaltando a fragilidade e preciosidade da cultura global.

Instituições americanas e canadenses também se manifestaram com mensagens de apoio. A mobilização chegou ao Conselho Internacional de Museus (Icom), que divulgou em nota um plano para reunir especialistas que possam ajudar na recuperação do Museu Nacional. “Neste dia sombrio, não apenas pela herança brasileira, mas também pelo patrimônio mundial, queremos reiterar a nossa crença inabalável na resiliência e trabalho dos profissionais de museus do Brasil e a nossa fé na sua capacidade de se recuperar desse doloroso acontecimento.”