Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

João de Deus se entrega à polícia e é preso em GO

Médium, acusado por mais de 300 mulheres de abuso sexual, estava foragido

O médium João de Deus se entregou à polícia neste domingo, 16, nas proximidades de Abadiânia (GO) e foi preso, por volta das 16h30, segundo informações do Ministério Público de Goiás. O líder espiritual de 77 anos acusado por mais de 300 mulheres de abuso sexual estava foragido e negociou sua rendição e prisão preventiva com as autoridades.

João de Deus foi levado ao Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, cidade vizinha a Goiânia, onde passará a noite. “Os promotores e promotoras informam que os trabalhos da Força-Tarefa seguem normalmente nos próximos dias, no intuito de continuar realizando as oitivas das vítimas e produzir as denúncias a serem oferecidas”, completou o MP.

No último dia 12, João de Deus retirou 35 milhões de reais de contas e aplicações financeiras após as primeiras denúncias de abuso sexual, segundo informações do Ministério Público e da Polícia Civil de Goiás. A movimentação financeira suspeita acelerou o pedido de prisão preventiva, determinado pela Justiça na tarde de sexta-feira 14. 

Os relatos de abuso sexual vieram à tona há uma semana, quando o programa Conversa com Bial, da TV Globo, apresentou denúncias de algumas mulheres. Dois dias depois, o Ministério Público e a Polícia Civil de Goiás formaram forças-tarefas para investigar os casos. Até o momento, já foram coletados mais de 330 depoimentos. Desse total, 30 mulheres formalizaram acusações.

Nesta semana, somente na cidade de Abadiânia, onde funciona a Casa Dom Inácio, foram iniciados três inquéritos. Eles se juntam a outros três que já haviam sido abertos antes de os depoimentos contra João de Deus serem divulgados na TV.

Uma das mulheres que o denunciaram foi sua própria filha, Dalva Teixeira, de 49 anos. Em entrevista exclusiva a VEJA, ela relatou o calvário pessoal que enfrentou a partir dos 10 anos de idade. “Meu pai é um monstro”, contou Dalva. 

Pouco antes de se entregar, em entrevista à Folha de S. Paulo, João de Deus disse que decidiu se entregar “à Justiça divina e à Justiça da Terra.” Ele não era visto publicamente desde a última quarta, quando visitou a casa Dom Inácio de Loyola e, em pronunciamento rápido, garantiu inocência e disse estar à disposição da Justiça. A Polícia Civil percorreu mais de 20 endereços para tentar encontrá-lo antes da rendição.