Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israelenses tentarão achar vítimas de Brumadinho pelo sinal de celular

Ajuda também contará com sonares que ajudam a identificar vítimas soterradas embaixo da lama

Os 136 militares de Israel ajudarão na busca de sobreviventes na cidade de Brumadinho, vítima do rompimento de uma das barragens da mineradora Vale na última sexta-feira, 25. A partir desta segunda-feira, 28, as forças israelenses usarão equipamentos de tecnologia como um aparelho que consegue captar sinal de celular embaixo da lama e sonares para identificar vítimas soterradas na lama. 

“Eles irão nos auxiliar com tecnologia. Os sonares ajudam a detectar a diferença entre a lama e o corpo humano. Os outros equipamentos são capazes identificar qualquer sinal de celular emitido na profundidade da lama. A identificação é pelo sinal do celular, não diz respeito ao sigilo telefônico”, disse o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais . 

Segundo o tenente, Israel trará mais opções tecnológicas que se juntam a outras opções como o uso de drones, câmeras termais e georreferenciamento.

O coronel Golan Vach, que lidera a missão israelense, afirmou que o foco é encontrar sobreviventes. Os sonares e equipamentos para captar sinais de celulares podem encontrar vítimas até três metros embaixo da lama, 

De acordo com Aihara, a atuação das Israel será conjunta com os bombeiros brasileiros e ficará concentrada próxima a área do refeitório da Vale e da pousada. Os bombeiros trabalham com a possibilidade de aumentar o perímetro para as buscas porque a força da lama pode ter deslocado os prédios para frente. Ao todo, são 280 bombeiros militares brasileiros na busca. 

O resgate às vítimas de Brumadinho chega ao quarto dia. Até o momento, 58 mortes foram confirmadas pela Defesa Civil. Ainda há 305 desaparecidos confirmados pelas autoridades, enquanto 192 pessoas já foram resgatadas com vida.

Governador fala em esperança

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse na manhã dessa segunda-feira, que acredita que serão encontrados sobreviventes após 72 horas do acidente com a chegada de soldados e equipamentos israelenses.  

Essa foi a primeira vez desde o dia do acidente que o governador mineiro conversou com a imprensa desde o rompimento da barragem, mas pouco disse sobre a operação de resgate ou mesmo sobre o rompimento da barragem. Zema tentou esclarecer a declaração que pediu para que as pessoas não mandassem mais donativos às vítimas de Brumadinho. Segundo ele, o foco atual é agilizar a operação de resgate.

“Vejo que com a tecnologia deles vamos aumentar, e muito, as chances de encontrar novos sobreviventes e de termos mais agilidade em acharmos vítimas. O que, de certa forma, vai agilizar muito a angústia que a família dessas vítimas têm passado, com as quais me solidarizo e temos trabalhado ao máximo”.

Na sexta-feira à noite, após o acidente, Zema havia declarado que as chances era mínimas de encontrar sobreviventes. “Iremos resgatar apenas corpos”.