Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Incêndio em Manaus foi o segundo maior do Estado do Amazonas

Cerca de 500 famílias foram atingidas e receberão auxílio do governo

O incêndio que atingiu o bairro de Educandos, na Zona Sul de Manaus, capital do Amazonas, na noite desta segunda-feira, 17, a partir das 20h30, foi o segundo maior da história do estado, de acordo com a Defesa Civil do Estado. A tragédia vitimou cerca de 500 famílias e 2 500 pessoas, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas. O incêndio só não foi maior do que o ocorrido em 2012, no bairro São Jorge, que em apenas três horas de duração vitimou 300 famílias, informou o secretário executivo da Defesa Civil, Fernando Pires Junior.

O governador do estado, Amazonino Mendes (PDT), confirmou que as famílias receberão, inicialmente, 900 reais, cestas básicas de alimentos, kits de higiene e dormitório após o incêndio. “Primeiramente, a gente quer registrar, com grande pesar, que fomos acometidos por essa tragédia, terrível, horrível, que infelicitou centenas de famílias e que nós nos apressamos em prestar o melhor socorro possível, dentro das nossas limitações. Vamos atuar em um esforço concentrado para amenizar o sofrimento dessas pessoas”, disse Amazonino Mendes.

Cerca de 300 pessoas vítimas do incêndio já foram contemplados com um crédito solidário do programa Renda Certa. “Eu fui informado agora de manhã pela Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), que, no local do sinistro do incêndio, houve 300 operações de crédito para pessoas humildes, simples, que dentro do nosso programa de governo tiveram acesso a crédito. Determinei à Casa Civil elaborar uma mensagem de lei para que seja encaminhada à Assembleia Legislativa, para isentar, dispensar essas famílias (do pagamento do crédito)”, completou o governador, que deixa o cargo dia 31 de dezembro.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, 350 famílias foram abrigadas em casas de familiares, enquanto 150 estão em unidades educacionais e igrejas, aguardando uma solução. A Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam) confirmou quatro feridos: uma mulher de 53 anos, com sintomas de intoxicação por inalação de fumaça, que sofreu uma parada cardíaca, que evoluiu para um edema agudo de pulmão e parada cardiorrespiratória; uma adolescente de 14 anos grávida, com queixas de inalação de fumaça; um homem de 38 anos, sargento do Corpo de Bombeiros, com sintomas de intoxicação por inalação de fumaça e um homem de 45 anos, que ajudava a socorrer as vítimas, e foi atingido por um pedaço de muro que desabou.

O sargento do Corpo de Bombeiros segue internado com quadro clínico estável e a mulher de 53 anos está intubada e com estado feral grave. As outras duas vítimas tiveram alta.