Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Herman a Gilmar: ‘TSE cassa aqueles que vão contra a democracia’

Em aparte à fala do relator, presidente da corte pregou moderação com 'intervenção indevida no processo democrático'

Por Da redação - Atualizado em 8 jun 2017, 16h27 - Publicado em 7 jun 2017, 01h32

Os ministros Herman Benjamin e Gilmar Mendes travaram um embate nesta terça-feira durante o julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pode levar à cassação da chapa Dilma Rousseff e Michel Temer. A sessão foi suspensa pouco depois das 22h e será retomada às 9h desta quarta.

Presidente da corte, Gilmar fez um aparte durante as considerações iniciais do relator da ação, Herman Benjamin, e destacou a importância de um processo que pode derrubar o governante do país. “Temos uma situação singular, que não é comezinha, que é a impugnação de uma chapa presidencial”, afirmou. Para comparar, Gilmar citou “parlamentares, vereadores e prefeitos” que perdem o mandato e, em tom de crítica, afirmou que o TSE estaria “cassando mais do que a ditadura”. Por fim, o presidente da corte disse que o processo é um aprendizado e que “mais importante que o resultado do julgamento” é conhecer como funcionam as campanhas presidenciais.

Ao retomar a palavra, Herman respondeu para o colega: “As ditaduras cassavam e cassam quem defende a democracia. O TSE cassa aqueles que vão contra a democracia. É uma enorme diferença”. Gilmar, então, retrucou. “De qualquer forma, nós temos que ser moderados”, disse. “Essa é uma intervenção indevida no processo democrático eleitoral e nós temos que ser muito cuidadosos com isso.” Herman concordou e acrescentou que a “soberania do voto popular” deve ser protegida também de infrações.

Publicidade