Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Governo autoriza prorrogação do apoio da Força Nacional no Pará

Ministério da Justiça estendeu o prazo de atuação por 18 dias; medida foi influenciada por chacina com 11 mortos na periferia de Belém

Por Da Redação Atualizado em 27 Maio 2019, 12h00 - Publicado em 27 Maio 2019, 11h14

O Ministério da Justiça e Segurança Pública autorizou a prorrogação do apoio da Força Nacional de Segurança Pública na Região Metropolitana de Belém. A portaria estendendo o prazo de atuação na região por 18 dias está publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 27.

Segundo a pasta, a extensão do prazo, a partir de 5 de junho, “tem caráter episódico e planejado, em apoio aos órgãos de segurança pública do Estado do Pará, nas ações de policiamento ostensivo, polícia judiciária e perícia forense, nas atividades e nos serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.”

Este prazo pode ser prorrogado novamente, se necessário. Caberá ao governo do estado dar todo o apoio logístico, dispondo da infraestrutura necessária à Força Nacional.

Chacina

A Força Nacional está atuando na capital paraense desde março. Na ocasião, o governo do Pará confirmou a ida de 200 homens e 40 viaturas da Força Nacional para o estado.

Continua após a publicidade

No dia 1º de janeiro, ao ser empossado, o governador Helder Barbalho informou ter solicitado ao Ministério da Justiça o reforço de 500 homens para ajudar no combate ao crime no estado. Com a vinda de um contingente bem menor que o esperado, segundo Barbalho, o foco das ações da Força Nacional ficaria concentrado na região metropolitana de Belém.

A prorrogação da ajuda foi impulsionada por uma chacina no último dia 19, quando ao menos 11 pessoas foram assassinadas em um bar do bairro Guamá, na periferia da capital. 

Segundo o Departamento de Homicídios, vários homens encapuzados entraram no estabelecimento, em Belém, e atiraram na direção das pessoas que estavam dentro. Um dos sobreviventes ainda está internado em estado grave e não teve o nome ou a localização divulgados, por medida de segurança.

Na madrugada de domingo 26, mais um suspeito da chacina entregou-se à polícia. O cabo da Polícia Militar Leonardo Fernandes de Lima teve a prisão decretada na última sexta 24 e era procurado pelas autoridades. Agora, as buscas policiais estão concentradas para prender um home identificado como Diel. Segundo as investigações, quatro civis e quatro policiais militares estão entre os criminosos envolvidos.

(com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)