Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Flexibilização da quarentena não alterou índice de isolamento social em SP

Monitoramento de dados de celulares mostra que não houve alteração significativa no fluxo de pessoas com a reabertura do comércio de rua

Por Redação Atualizado em 12 jun 2020, 14h31 - Publicado em 12 jun 2020, 14h23

A flexibilização da quarentena contra o novo coronavírus anunciada pelo governador João Doria (PSDB) em São Paulo não alterou de forma significativa os índices de isolamento social registrados a partir do monitoramento de dados de geolocalização de celulares. Mesmo com a reabertura do comércio de rua na capital e de outros estabelecimentos em cidades do interior, o isolamento no estado oscilou entre 47% e 46% nos três primeiros dias da semana e subiu para 48% na quinta-feira, 11. Os números são praticamente idênticos aos dias úteis da semana anterior, que variaram entre 46% e 48%.

Na cidade de São Paulo, os números se mantiveram em 48% ao longo de toda a semana. O índice é ligeiramente pior do que os dados da última semana, que alternaram entre 50% e 48%. O isolamento desta sexta-feira, 12, em que muitas pessoas foram às ruas para fazer compras de última hora em comemoração ao Dia dos Namorados, só será conhecido neste sábado, 13.

ASSINE VEJA

Os desafios dos estados que começam a flexibilizar a quarentena O início da reabertura em grandes cidades brasileiras, os embates dentro do Centrão e a corrida pela vacina contra o coronavírus. Leia nesta edição.
Clique e Assine

Na quarta-feira, 10, Doria prorrogou a quarentena em todo o estado até o dia 28 deste mês. O governador flexibilizou as restrições na Grande São Paulo e no litoral paulista, permitindo a reabertura de shoppings na próxima semana, mas endureceu as medidas aplicadas em Bauru, Araraquara, Presidente Prudente e Barretos. Com isso, essas quatro cidades tiveram revogadas as permissões para bares e restaurantes voltarem a funcionar.

A flexibilização da quarentena ocorre numa semana em que São Paulo ultrapassou a marca de 10.000 mortos por Covid-19 e bateu por duas vezes o recorde de óbitos diários registrados no estado. Segundo o último levantamento do Ministério da Saúde, o Brasil contabiliza 41.058 mortos pelo vírus, sendo que 1.261 foram computados só nesta quinta.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade