Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Escrivã da PF distribui passaportes da ‘República de Curitiba’

Licenciada da Polícia Federal, Deborah Negrão Torres distribui aos agentes de segurança documentos que homenageiam a Operação Lava Jato

Por João Pedroso de Campos, de Curitiba - Atualizado em 11 maio 2017, 22h26 - Publicado em 10 maio 2017, 17h37

Enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva presta depoimento ao juiz federal Sergio Moro em Curitiba, a escrivã licenciada da Polícia Federal Déborah Negrão Torres distribui aos policiais militares que patrulham o prédio da Justiça Federal sua criação: passaportes da República de Curitiba.

Fora da PF desde fevereiro de 2014, pouco antes da deflagração da Operação Lava Jato, e fã declarada de Moro e Deltan Dallagnol, ela lançou a tal república no Facebook no ano passado.

Passaporte da República de Curitiba Passaporte da República de Curitiba

Passaporte da República de Curitiba João Pedroso/VEJA.com

A expressão foi retirada do próprio Lula, que em uma das ligações interceptadas pela Polícia Federal na Lava Jato se disse “assustado com a República de Curitiba”.

Idealizado pelo designer Allen Arruda, que misturou símbolos da Justiça, como a balança, aos da capital paranaense, como a araucária, o brazão que figura na capa azul do passaporte também estampa peças de roupa vendidas por Déborah na internet, cujos preços variam de 50 a 120 reais.

Publicidade