Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Veja como foi o dia do depoimento de Lula a Moro em Curitiba

Audiência na sede da Justiça Federal de Curitiba durou cinco horas; ex-presidente foi interrogado pela primeira vez como réu em processo da Lava Jato

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prestou depoimento ao juiz Sergio Moro por cinco horas em um processo no qual é réu sob a acusação de ter recebido 3,7 milhões de reais de propinas oriundas da Petrobras. Neste período, o magistrado interrogou o petista por três horas e 20 minutos – o restante do tempo foi ocupado por advogados e procuradores do Ministério Público Federal.

Veja também

Lula é acusado pelo MPF de ter se beneficiado com propinas da construtora OAS desviadas de três contratos da empreiteira com a Petrobras. O dinheiro teria sido destinado à aquisição e reforma de um apartamento tríplex no Guarujá e aos custos de armazenamento do acervo presidencial do petista.

O petista teve o apoio de milhares de manifestantes que foram a Curitiba – não há uma estimativa oficial – e o ovacionaram na chegada para o depoimento no prédio da Justiça Federal, que estava isolado e com um rigoroso esquema de segurança.

Veja aqui os vídeos com a íntegra do depoimento de Lula a Moro.


21:10 – Encerramos o relato de como foi o dia em Curitiba. Veja abaixo os principais momentos:

20:17 – Assista o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro. Veja os vídeos, na íntegra, aqui.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em depoimento ao juiz Sergio Moro (reprodução/Reprodução)


20:08 – Acaba o discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após o depoimento à Justiça Federal. Ele falou para militantes na Praça Santos Andrade, em Curitiba. Ele se defendeu, disse que não há provas contra ele e que “está vivo e pronto para voltar” em 2018, se preparando para ser, mais uma vez, candidato à Presidência da República. “Eu nunca tive tanta vontade de ser candidato”, declarou. “Se a elite brasileira não tem competência para arrumar o pais, um metalúrgico com 4º ano primário vai”.

Ele ressaltou que irá “em quantos depoimentos forem necessários” e criticou o que chamou de “falta de provas” das acusações contra ele. Por mim, Lula disse que “ninguém foi tão perseguido ou massacrado nesse país” e que “não tem palavras para agradecer” a presença dos seus apoiadores na capital do Paraná.

Assista o discurso do ex-presidente Lula, transmitido pela página oficial do PT:


19:29 – Ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff chegam a praça Santos Andrade, no centro de Curitiba.


19:28 – Policiais militares que faziam a segurança no entorno do prédio da Justiça Federal deixam o local.


19:19 – Lula sai da sede da Justiça Federal neste momento. Batedores da PM acompanham comitiva.


19:11 – Termina neste momento o depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Moro. O depoimento durou cinco horas.


18:56 – Nesse momento, o ex-presidente Lula faz suas considerações finais. Depoimento ao juiz Moro já dura mais de quatro horas.


18:49 – Três batedores da Polícia Militar estão diante do prédio da Justiça Federal.


18:45 – Na tarde desta quarta, o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, disse que não há motivo para prisão Lula. Alegando que o processo em que o petista é réu ainda não está concluído, o ministro afirmou que é preciso “parar com essa mania de inverter a ordem natural do processo crime”.


18:34 – Por volta das 18:20 parte dos policiais da rotam deixaram a praça Pedro Alexandre Brotto, em frente ao prédio da Justiça Federal. Policiamento foi reduzido – cerca de 150 policias permanecem diante do prédio. O blindado da Tropa de Choque e o caminhão de monitoramento da PM continuam no local.


18:29 – Ao contrário do que informamos anteriormente, a audiência com o ex-presidente Lula continua na sede da Justiça Federal, em Curitiba.


18:10 – Depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro completa quatro horas. Representando o Ministério Público Federal, fazem perguntas os procuradores da República Carlos Fernando dos Santos Lima, Júlio Noronha e Roberson Pozzobom.


18:03 – Escrivã licenciada da Polícia Federal, Deborah Negrão Torres distribui aos agentes que fazem a segurança do prédio da Justiça Federal passaportes da “República de Curitiba”.

Déborah Negrão Torres

A escrivã licenciada da Polícia Federal Déborah Negrão Torres, que distribui aos policiais militares que patrulham o prédio da Justiça Federal sua criação: passaportes da República de Curitiba (João Pedroso/VEJA.com)


17:40 – Cerca de 3 mil profissionais de segurança pública das esferas municipal, estadual e federal participam da Operação Civitas, que fez o policiamento das ruas de toda a cidade de Curitiba.


17:31 – Moro encerra questionamentos ao ex-presidente Lula. Neste momento, procuradores do Ministério Público Federal (MPF) fazem perguntas ao petista.


17:09 – Cerca de 1,7 mil policiais militares participam da operação de segurança montada em toda a cidade de Curitiba, de acordo com informações da Secretaria de Segurança do Paraná.


16:53 – Agora há pouco, foi interrompido momentaneamente o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Por autorização do juiz Sergio Moro, foi permitido que os presentes pudessem tomar café e água. O procedimento já foi retomado e Moro segue perguntando.


16:49 – Veja as principais fotos de Curitiba nesta quarta-feira, dia do primeiro depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro no âmbito da Operação Lava Jato.


16:44 – Militantes pró-Lava Jato, em menor número, protestam contra o ex-presidente Lula e o comunismo, além da defesa das investigações sobre corrupção na Petrobras. No último domingo, o juiz Sergio Moro pediu aos apoiadores da Operação que evitassem protestos em Curitiba nesta quarta-feira, para que não houvessem conflitos.

Manifestantes realizam ato contra Lula

Apoiadores da operação Lava Jato se manifestaram em frente ao Museu Oscar Niemeyer em Curitiba, durante depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva perante o juiz Sergio Moro – 10/05/2017 (Heuler Andrey/AFP)


16:35 – Leia o que os colunistas de VEJA escreveram a respeito do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro.

Augusto Nunes – O circo armado por Lula tem um culpado no picadeiro
Reinaldo Azevedo – Será LULA X MORO versão nativa de “O Homem que matou o facínora”?
Sérgio Praça – O julgamento de Lula é político?


16:25 – Neste momento, o sistema e-proc, de consultas processuais da Justiça Federal do Paraná, se encontra instável. Os servidores tiveram de recorrer ao departamento de TI para fazê-lo voltar a funcionar. É a partir desta plataforma que jornalistas e demais interessados terão acesso aos vídeos do depoimento do ex-presidente Lula quando estes forem disponibilizados.


16:16 – No blog Maquiavel: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o juiz federal Sergio Moro fazem uma guerra à parte nesta quarta-feira, a guerra das gravatas. O petista deixou de lado o tradicional vermelho e ostenta um acessório verde e amarelo. Já Moro, optou por uma vermelha.

As gravatas de Lula e Moro

As gravatas de Lula e Moro (VEJA/VEJA.com)

 


16:01 – Neste momento, o “plano A” para o final da tarde do ex-presidente Lula, após o depoimento ao juiz Sergio Moro, é que ele vá em direção ao hotel Pestana, que reúne neste momento a cúpula do PT e seus principais aliados políticos. Lá, Lula deve conceder uma entrevista coletiva aos jornalistas presentes. Segue sendo incerta a presença do ex-presidente na praça Santos Andrade, onde militantes aguardam um discurso do petista.


15:50 – Os apoiadores de Lula esvaziaram a região da Justiça Federal e voltaram a se concentrar na praça Santos Andrade, em Curitiba, onde esperam um possível discurso do ex-presidente Lula no final da tarde. A segurança foi reforçada na entrada do prédio da Justiça, já em uma preparação para a saída de Lula. O depoimento do petista se encaminha para a segunda hora de duração.

pracasantosandrade

Praça Santos Andrade, em Curitiba, onde militantes favoráveis ao ex-presidente Lula aguardam um possível discurso do petista (Vagner Rosario/VEJA.com)


15:39 – O esquema de segurança em Curitiba para o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sede da Justiça Federal envolveu até snipers, como são conhecidos os atiradores de elite. O esquema nos arredores do prédio onde o petista fala ao juiz federal Sergio Moro inclui também 200 policiais do batalhão Rotam da polícia militar do Paraná e outros 150 em frente ao edifício.

Segurança durante depoimento de Lula em Curitiba

Segurança nos arredores da Justiça Federal em Curitiba contou até com atiradores de elite por conta do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro – 10/05/2017 (Vagner Rosário/VEJA.com)


15:25 – Lula pode sair preso do depoimento ao juiz Sergio Moro hoje? Até pode, mas as chances são muito remotas. Entenda.


15:11 Até a conclusão do depoimento de Lula, a fala do ex-presidente é secreta, não sendo permitido contato com pessoas externas à audiência. Para garantir que isso seja respeitado, todos os telefones celulares – do petista, do juiz Sergio Moro, seus assistentes, servidores, procuradores e advogados presentes – estão guardados em uma caixa.


14:45 – Nesta quarta-feira, o ex-presidente Lula presta esclarecimentos sobre uma das cinco ações às quais responde na Justiça. Nesta ação, ele é acusado pelo Ministério Público Federal de favorecer indevidamente a empreiteira OAS em contratos com a Petrobras. Em troca, a construtora teria concedido benefícios para a reserva e reforma de um apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo, e nos custos de armazenamento do acervo presidencial do petista. Saiba o que o juiz Sergio Moro quer saber de Lula.


14:15 – O depoimento de Lula ao juiz Sergio Moro iniciou oficialmente às 14h10.


13:53 – O depoimento do ex-presidente Lula, previsto para começar às 14 horas desta quarta, não será transmitido ao vivo – a defesa do petista havia solicitado a captação das imagens ao STJ, porém o ministro Félix Fisher negou o pedido nesta manhã. O depoimento de Lula será gravado e disponibilizado no sistema eletrônico da Justiça Federal na íntegra após o término. O acesso à gravação é público e VEJA irá divulgá-la na íntegra.


13:40 – Relator dos habeas corpus do ex-presidente Lula no STJ, o ministro Félix Fischer acaba de negar o terceiro e último pedido da defesa do petista. Nesta petição, Lula requeria que o juiz Sergio Moro fosse considerado suspeito para julgá-lo e, portanto, fosse afastado do caso.

Com a decisão do magistrado, todos os pedidos da defesa do ex-presidente foram negados. Lula também havia requerido que o processo fosse suspenso por 90 dias e que pudesse gravar o depoimento com uma equipe independente.

Veja também

13:30 – VEJA ao vivo: reportagem acompanha ao vivo a expectativa de militantes com a chegada do ex-presidente Lula à barreira de segurança a caminho da Justiça Federal do Paraná.


13:25 – Guerra de Hashtags: redes sociais reproduzem briga de militantes a favor e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Apoiadores da Operação Lava Jato estão compartilhando a tag #MoroOrgulhoBrasileiro, em apoio ao juiz Sergio Moro, que interrogará Lula. Os defensores do petista começaram a manhã com o lema #LulaEuConfio. No começo da tarde, adotaram a tag #MoroPersegueLula

(Reprodução/Twitter)

 


13:21 – Uma parcela dos militantes da CUT e do MST, movimentos de apoio ao ex-presidente Lula, deixou a área prevista para os militares favoráveis ao petista e rumou em direção à sede da Justiça Federal. Os grupos deveriam se concentrar na praça Santos Andrade, em frente à Universidade Federal do Paraná.

Entre os que acompanham essa carreata estão o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), o líder dos sem-terra, João Pedro Stédile, o escritor Fernando Morais e o fotógrafo oficial do ex-presidente, Roberto Stuckert Filho.


12:38 – O hotel Pestana se tornou o QG oficial do PT em Curitiba. Os dois últimos andares foram reservados para hospedar petistas membros na executiva nacional e diretores do partido. Rui Falcão, Benedita da Silva e outros caciques se hospedaram aqui. A movimentação começou cedo e por volta das 8h o lobby do hotel já havia virado ponto de encontro. Assim que chegaran em Curitiba, por volta das 11h, os ex-presidentes Lula e Dilma também se dirigiram ao hotel. Eles vieram em uma comitiva de carros executivos, entraram direto na garagem e não falaram com a imprensa.

Concentração no hotel Pestana em Curitiba

Concentração em frente ao hotel Pestana em Curitiba, onde está hospedada a cúpula do PT que acompanha o ex-presidente Lula em depoimento ao juiz Sergio Moro – 10/05/2017 (Vagner Rosário/VEJA.com)


12:30 – No blog Maquiavel: O que o jato que levou Lula a Curitiba tem a ver com o mensalão? Dono do avião que levou o ex-presidente ao Paraná é o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia, antigo aliado de petistas e tucanos. Entenda.

Lula chega em Curitiba

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chega em Curitiba para prestar depoimento ao juiz federal Sergio Moro – 10/05/2017 (Paulo Whitaker/Reuters)


12:15 – Entrevista com Rui Falcão, presidente nacional do PT. O líder petista fala em “manifestação pacífica” e diz que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está “tranquilo e sereno” para fazer a sua defesa.


12:03 – Militantes petistas e de movimentos sociais fazem protesto na praça Santos Andrade, em frente à Universidade Federal do Paraná, em Curitiba.


11:14 – Cerca de 200 policiais do batalhão Rotam da Polícia Militar, equipados com escudos e cassetetes chegaram à praça Alexandre Brotto, em frente à sede da Justiça Federal em Curitiba. Outros 150 policiais estão diante do prédio, que receberá o ex-presidente Lula para o seu primeiro depoimento ao juiz Sergio Moro. Veja o vídeo.

Segurança reforçada para receber Lula em Curitiba

Segurança reforçada nos arredores do prédio da Justiça Federal em Curitiba antes do depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro – 10/05/2017 (VEJA/VEJA.com)


11:09 – O ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acaba de negar dois dos três pedidos de habeas corpus impetrados pela defesa do ex-presidente Lula. Se aceitos, os pedidos poderiam representar o adiamento do depoimento do petista ao juiz Sergio Moro nesta quarta-feira. Em um, os defensores solicitavam mais tempo para analisar novos documentos recebidos no fim de semana.

Veja também

No segundo, reiteravam o interesse em fazer uma gravação independente da fala do ex-presidente. Ainda falta ser julgado, no entanto, um terceiro recurso, em que Lula pede que a Justiça considere Moro suspeito para julgá-lo.


11:05 – A cerca de 150 metros do prédio da Justiça Federal, ambulantes estendem varal com bandeiras do Brasil, um dos símbolos dos apoiadores da Lava Jato, ao lado de uma pequena concentração de militantes favoráveis ao ex-presidente Lula, alguns deles vestindo uniformes do MST e da Federação Única dos Petroleiros (FUP). Cerca de trinta apoiadores do petista estão na esquina de uma das ruas que dá acesso ao edifício.

BandeirasBrasilLavaJato

Ambulantes estendem bandeiras do Brasil próximo à sede da Justiça Federal, em Curitiba (João Pedroso de Campos/VEJA.com)


11:02 – Acaba de sair do Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, o comboio que leva o ex-presidente Lula e lideranças petistas. São veículos das marcas Fusion e Corolla, além de uma van.


10:58 – Os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff estão juntos, no Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, antes do depoimento do petista ao juiz Sergio Moro.

DilmaLulaAeroporto

Lideranças do PT acompanham Lula no Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba (Reprodução @HenriqueFontana/Twitter)


10:52 – Cerca de 250 pessoas, apoiadores do ex-presidente Lula, partiram do acampamento do MST rumo à Praça Santos Andrade, para fazer o primeiro ato do dia em defesa de Lula.

 


10:45 – A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) também já está em Curitiba para apoiar o ex-presidente Lula em seu depoimento. Na sua conta oficial no Twitter, Dilma disse que a “verdade vai prevalecer”.


10:37 – No perfil do deputado Henrique Fontana (PT-RS) no twitter, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, disse contar com um “depoimento sereno”, em que o petista “vai liquidar qualquer dúvida”.


10:28 – o ex-presidente Lula chegou ao Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba. As 14h, ele deve comparecer à sede da Justiça Federal para depôr ao juiz Sérgio Moro em uma das cinco ações penais nas quais é réu. A expectativa agora é pela chegada, nos próximos minutos, da ex-presidente Dilma Rousseff, que vai acompanhar Lula.

Lula chega em Curitiba

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chega em Curitiba para prestar depoimento ao juiz federal Sergio Moro – 10/05/2017 (Paulo Whitaker/Reuters)


09:58 – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva embarcou no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, rumo a Curitiba. Lula partiu para o Paraná em um jato particular e vai desembarcar no hangar da empresa J. Malucelli, no Aeroporto Afonso Pena.

Lula embarca para Curitiba

Ex-presidente Lula embarca para Curitiba onde deve prestar depoimento ao juiz Sergio Moro (Reprodução/TV Globo)


09:30 – No facebook de VEJA, o repórter Edgar Maciel traz as últimas informações sobre o esquema de segurança e a situação na manhã desta quarta-feira em Curitiba, onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve depor ao juiz federal Sérgio Moro, no processo em que é acusado de favorecimento ilícito da empreiteira OAS.


09:12 – A Polícia Militar do Paraná montou pelo menos dois bloqueios em todas as ruas que dão acesso ao prédio da Justiça Federal do Paraná, onde o ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva falará ao juiz federal Sérgio Moro, a partir das 14h.

Só passam pelos bloqueios moradores e aqueles que trabalham na região, desde que cadastrados junto à PM.

A imprensa está concentrada em uma área a cerca de 50 metros do prédio da Justiça Federal, que está isolado por grades provisórias. Cerca de 20 policiais guarnecem a entrada do edifício.

A Secretaria de Segurança Publica do Paraná não informa o contingente de policiais empregados nos bloqueios. Um caminhão de monitoramento da PM e um carro blindado do Batalhão de Choque estão estacionados nos arredores do prédio que receberá Lula hoje.

JusticaFederal

Polícia Militar faz forte esquema de segurança em frente à sede da Justiça Federal, em Curitiba (João Pedroso de Campos/VEJA.com)


08:56 – Militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) foram, em caravanas, para Curitiba, com o objetivo de apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seu depoimento à Justiça Federal. A expectativa era a de reunir cerca de 50 mil pessoas a favor do petista na cidade. O MST montou seu acampamento ao lado da Rodoferroviária, após um acordo com a Prefeitura de Curitiba

Acampamento-MST

Acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em Curitiba (Vagner Rosário/VEJA.com)


08:39 – Outro processo relativo a Lula que teve andamentos nesta semana é a ação penal em que ele é acusado de obstruir a Justiça, tendo participado de uma articulação para tentar comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Na tarde desta terça-feira, o juiz Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, decidiu suspender as atividades do Instituto Lula, que, segundo a decisão, pode ter sido “instrumento ou pelo menos local de encontro para a perpetração de vários ilícitos criminais”


08:14 – Nesta quarta-feira, o ex-presidente Lula falará ao juiz Sérgio Moro em uma das cinco ações nas quais é réu. Hoje, Moro deve tratar apenas das questões relativas à empreiteira OAS e os desvios oriundos de três contratos da Petrobras. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, o ex-presidente teria recebido benefícios ilícitos de cerca de cinco milhões de reais, dinheiro que teria sido utilizado na compra e reforma de um apartamento tríplex, no Guarujá (SP), e na manutenção do seu acervo presidencial.


07:53 – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue tentando adiar o depoimento previsto para esta quarta-feira. Ontem, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) recusou o pedido para que a defesa do petista tenha novo prazo para analisar um conjunto de documentos recebidos da Petrobras. Agora, ele recorre ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que deve decidir ainda nesta manhã se o petista falará ou não ao juiz Sergio Moro.


07:36 – Na madrugada desta quarta-feira, rojões atingiram o acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ao lado da Rodoferroviária de Curitiba. Os fogos atingiram ao menos uma barraca, que ficou em chamas, e feriram um rapaz identificado como Maicon, socorrido e encaminhado a um hospital da região.

Veja o vídeo do momento:

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. As fotos dizem tudo: a cara dos apoiadores do Lula é de dementes, insanos. Compreensível que assim seja.

    Curtir

  2. Ronaldo Capelari

    Bandidagem!

    Curtir

  3. João Ferreira

    Esse bandido ainda está solto????????????????

    Curtir

  4. Ronaldo Capelari

    Bandidos!

    Curtir

  5. João Ferreira

    Só tem vagabundos apoiando esse pilantra.

    Curtir

  6. Rômulo Pinheiro

    Era muito patife e criminoso junto, uma verdadeira quadrilha.
    lula,dilma,gleisi,rui falcão,benedita……
    O Dr Moro deu mole. Era pra aproveitar e prender todos de uma vez.

    Curtir

  7. Puro teatro dos dois lados, só estão desperdiçando dinheiro de nós os pobres contribuintes.

    Curtir

  8. Wilson A. Zamignani

    AJA PÃO COM MORTADELA E CACHAÇA PRA ATURAR A DILMA E O LULA FALANDO MERD4

    Curtir

  9. Roberto Ferro

    Sua hora ta chegando seu vagabundo.

    Curtir

  10. Januario Neto Souza Neto

    pilantras da veja o povo nas ruas para apoiar o melhor presidente do brasil e voces escondem a noticia. ainda são tão fascinoras de criticarem midias como korea do norte, china etc. pilantras safados e manipuladores.

    Curtir