Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Homens que protestaram contra Alexandre de Moraes são presos em SP

Manifestantes bolsonaristas foram levados para o 15º DP. Juíza justificou a prisão sob o argumento de "garantia da ordem pública"

Por Eduardo Gonçalves Atualizado em 16 Maio 2020, 23h11 - Publicado em 16 Maio 2020, 19h29

Dois manifestantes bolsonaristas que participaram de um protesto em frente ao prédio do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, em São Paulo, foram presos preventivamente neste sábado, dia 16. A decisão foi tomada pela juíza plantonista Ana Carolina Mascarenha sob o argumento de “garantir a ordem pública”.

O mandado de prisão expedido contra Jurandir Alencar e Antonio Bronzieri diz que eles desrespeitaram o regime de liberdade provisória ao qual haviam sido submetidos. Os dois manifestantes foram presos pela primeira vez em flagrante no último dia 2 de maio, quando fizeram o ato contra o ministro do Supremo.

Eles são investigados num inquérito da Polícia Civil por crimes de desobediência, infração de medida sanitária e incitação ao crime. A prisão teria sido efetuada após “investigação criteriosa, campana e infiltração de agentes em acampamento do movimento por eles liderado”, situado na frente da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), conforme ofício do delegado Fernando Cesar de Souza.

Na última terça-feira, 12, eles se tornaram réus na Justiça paulista pelos delitos de ameaça, difamação, injúria e perturbação do sossego mediante uma denúncia apresentada pelo Ministério Público de São Paulo.

“O encarceramento dos representados é medida que se impõe, tanto porque desrespeitaram o benefício da liberdade provisória concedido, bem como para a garantia da ordem pública, imprescindível neste momento vivido”, diz o mandado de prisão.

Os dois foram levados hoje ao 15º Distrito Policial de São Paulo e devem ser encaminhados em seguida a um presídio.

Continua após a publicidade
Publicidade